Novo limite para enquadramento do MEI e Simples Nacional

Compartilhe
LEI COMPLEMENTAR No 155, DE 27 DE OUTUBRO DE 2016
A lei sancionada pelo presidente Michel Temer em cerimônia no Palácio do Planalto. O texto é oriundo do substitutivo ao PLC 125/2015, aprovado pelo Senado em Junho, depois de dez meses de discussões.
Realiza alterações na a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006 entre elas o estabelece novos limites para o enquadramento no Simples Nacional e amplia o prazo de parcelamento das dívidas tributárias.
Criado em 2006, o Supersimples tem o objetivo de facilitar o recolhimento de tributos pelos pequenos e microempresários.
Com as mudanças, os novos limites para ser incluída no programa como:
  • Micro empreendedor Individual (MEI): passam de R$ 60 mil anuais para R$ 81 mil (Art. 18-A, § 1º da LC 123/06).
  •   Microempresa (ME): Apesar do texto original conter a mudança de R$ 360 mil anuais para R$ 900 mil, não consta essa alteração para o Art. 3º, I da LC 123/06, o que implica para obtenção de alguns benefícios para as empresas com essa definição.
  • Empresas de pequeno porte (EPP): passam de R$ 3,6 milhões anuais para R$ 4,8 milhões por ano (Art. 3º, II da LC 123/06).
A nova versão da lei também amplia de 60 para 120 prestações o prazo para pagamento de dívidas tributárias.
A nova lei cria ainda a figura do “investidor-anjo” para ajudar as start-ups (empresas que iniciam atividades inovadoras) a obterem aportes para colocar seus produtos no mercado. Dessa forma, será possível captar investimentos sem a necessidade de o investidor se tornar sócio do novo empreendimento.
Via Agenda Senado

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação