var _comscore = _comscore || []; _comscore.push({ c1: "2", c2: "14194541" }); (function() { var s = document.createElement("script"), el = document.getElementsByTagName("script")[0]; s.async = true; s.src = (document.location.protocol == "https:" ? "https://sb" : "http://b") + ".scorecardresearch.com/beacon.js"; el.parentNode.insertBefore(s, el); })();

Queda nos valores dos planos de saúde individual: descubra como realizar a melhor escolha

Compartilhe
PUBLICIDADE

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), aplicou pela primeira vez na história um reajuste negativo nos valores dos planos de saúde individuais. 

Em decorrência da pandemia de Covid-19, não houve reajustes no ano passado, mas já foram retomados durante o ano de 2021. 

Fontes indicam que o reajuste que estava suspenso não será calculado em conjunto com o reajuste negativo, serão realizados dois cálculos diferentes. 

Reajuste negativo 

O desconto que será aplicado com o reajuste negativo, pode chegar a -8,19%. O desconto é inédito no Brasil, anteriormente, os reajustes positivos podiam chegar a porcentagens inferiores à estipulada pela ANS. 

Já o reajuste negativo operará de forma diferente, conforme a Agência Nacional de Saúde Suplementar, os índices de desconto não poderão ser inferiores a 8,19%. Ou seja, as operadoras poderão aplicar descontos nos valores dos planos ainda maiores. 

A queda dos valores poderão ocorrer para aqueles planos que foram contratados a partir de maio de 2021 até abril de 2022, a aplicação poderá se dar na data de “aniversário” do contrato, da mesma maneira que ocorre com os reajustes positivos. 

Qual é a motivação do reajuste negativo?

Com base nas informações divulgadas pela ANS, o reajuste negativo foi proposto devido à queda na procura dos serviços oferecidos pelos planos de saúde.

Houve um aumento na quantidade de internações e atendimento, mas as consultas regulares, os exames do cotidiano e as cirurgias que não eram urgentes sofreram baixas consideráveis. 

Os planos individuais e familiares poderão ter a aplicação do reajuste negativo, fora isso não está previsto o desconto para planos empresariais e coletivos. 

A Agência Nacional de Saúde Suplementar é a entidade responsável pela regulação dos planos de saúde no Brasil, os descontos e aumentos são negociados entre a ANS e as operadoras, empresas ou entidades. 

Suspensão do reajuste de 2020

O reajuste positivo suspenso durante o ano de 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19 que assolou o Brasil, foi retomado no ano de 2021, está previsto um aumento de 7,35% nos valores dos planos de saúde. 

Com base no exemplo disponibilizado pelo portal Uol, um plano de saúde no valor de R$ 100,00 que tenha sido contratado em novembro, terá direito ao desconto de -8,19%. O cálculo será realizado da seguinte maneira, 100 x 0,0819. O valor com o desconto chegará á R$ 91,81, isto é, 100 – 8,19. 

Mais o acréscimo do reajuste suspenso em 2020, 100 x 0,0735, ou seja, 91,81 + 6,75, o valor final com os reajustes será de R$ 98,56. 

Como solicitar meu reajuste?

Caso o reajuste não tenha sido realizado pela empresa responsável pelo plano de saúde, é necessário entrar em contato com a mesma para requerer a adaptação dos valores, mas se mesmo após entrar em contato a operadora não efetuar a adequação, é possível contatar a ANS.

O contato pode ser feito via telefônica, através do número 0800 701 9656, ou pelo portal oficial da Agência Nacional de Saúde Suplementar, ANS Digital.  

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação

Jornal Contábil