Salário mínimo de 2023: Revelado possível valor e novo aumento

O reajuste do salário mínimo impacta mais de 50 milhões de brasileiros entre trabalhadores e aposentados

Compartilhe
PUBLICIDADE

Anualmente o valor do salário mínimo passa por uma correção. Correção esta que atualmente é destaque da nova gestão do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

O que chama a atenção na correção do salário mínimo para o ano que vem comparado a este ano está na promessa de campanha do presidente eleito, que afirmou que o piso nacional será corrigido com reajuste real para os trabalhadores.

Acontece que nos últimos anos, a gestão do presidente Jair Bolsonaro considerava apenas a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para corrigir o salário mínimo.

Dessa forma, como o salário mínimo considerava apenas o avanço da inflação do ano anterior, seu reajuste era apenas compensatório, para que o brasileiro não perca o poder de compra, todavia, sem ganho real aos trabalhadores.

Novos valores do salário mínimo

Até o presente momento, o novo governo do presidente petista ainda não bateu o martelo sobre qual será o novo valor do piso nacional em 2023 ou qual será a regra de cálculo para aplicar este reajuste.

Todavia, a expectativa do próximo governo é de que o piso nacional possa chegar aos R$ 1.320 no ano que vem, garantindo um aumento de R$ 108 quando comparado ao piso nacional deste ano.

O reajuste esperado pela nova gestão de Lula é de R$ 18 a mais do que o previsto pela gestão do presidente Bolsonaro que havia enviado o projeto de Orçamento de 2023 prevendo que o valor suba para R$ 1.302 a partir de janeiro.

Vale lembrar que a expectativa do novo salário mínimo próximo aos R$ 1.320 veio após declaração do senador eleito Wellington Dias (PT-PI) que disse que seria possível um reajuste médio de 1,4% acima dos R$ 1.320 previstos no projeto de Orçamento de 2023.

Reajuste com aumento real

Entre os anos de 2010 a 2019, o reajuste do salário mínimo seguia parâmetros que permitiam um ganho real para milhões de brasileiros.

A antiga fórmula previa o reajuste do salário mínimo pela inflação do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores.

Essa regra permitia um crescimento econômico e um ganho mínimo que pudesse superar a inflação, todavia, a regra acabou sendo alterada no reajuste do salário mínimo de 2020 que passou a considerar apenas o INPC para cálculo do piso nacional, regra em vigor até o momento.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação

Jornal Contábil