Vazamento de Dados no Auxílio Brasil: Veja se você tem direito a indenização de R$ 15 mil

O Instituto Sigilo agora disponibiliza uma plataforma para que os usuários possam verificar se têm direito à compensação de R$ 15 mil

Compartilhe
PUBLICIDADE

Encarregado de detectar o vazamento de informações dos beneficiários do Auxílio Brasil (anteriormente conhecido como Bolsa Família) em 2022, o Instituto Sigilo agora disponibiliza uma plataforma para que os usuários possam verificar se têm direito à compensação de R$ 15 mil, determinada pela Justiça Federal.

Conforme relatado pelo Instituto Sigilo (Instituto de Defesa da Proteção de Dados Pessoais, Compliance e Segurança da Informação), ocorreu a divulgação indevida de dados como:

  • endereço,
  • número de celular,
  • data de nascimento,
  • montante do Auxílio Brasil recebido pelo beneficiário,
  • NIS (Número de Identificação Social) e
  • informações sobre os beneficiários no SUS (Sistema Único de Saúde).

Como consultar?

Para realizar a verificação, os usuários precisam acessar o portal em sigilo.org.br e escolher a opção “Verificar Direito à Indenização”.

O botão solicitará algumas informações pessoais do possível beneficiário, como nome completo, e-mail, CPF e número de telefone.

Na tela, será exibida a informação sobre se os dados do usuário foram ou não comprometidos. Além disso, será indicado quem é ou não elegível para receber a compensação.

Leia Também: Entenda Como Passos Simples Podem Evitar Vazamento De Dados

Entenda o caso

Em setembro, uma decisão da Justiça Federal determinou que aproximadamente 4 milhões de beneficiários do antigo Auxílio Brasil fossem compensados pela Caixa Econômica Federal e pela União devido a um vazamento de dados ocorrido no ano anterior, durante o governo de Jair Bolsonaro (PL).

A iniciativa foi movida pelo Instituto Sigilo, encarregado de analisar e compilar o número de vítimas do vazamento.

O valor total das indenizações pode exceder os R$ 56 bilhões, caso a decisão, que se encontra em primeira instância, seja mantida.

Mas vale lembrar que a consulta destina-se exclusivamente a permitir que o beneficiário verifique se seus dados foram comprometidos.

O pagamento das indenizações ainda não está confirmado, uma vez que o processo relacionado a ele ainda está em andamento.

Isso se deve ao fato de que as partes consideradas responsáveis pelo vazamento, como a Caixa Econômica Federal e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), expressaram sua intenção de recorrer da decisão judicial, alegando discordância quanto à existência de qualquer violação das informações dos beneficiários do Auxílio Brasil.

Em comunicado, a Caixa declarou que, em uma análise preliminar, não identificou vazamento de dados sob sua responsabilidade, reforçando possuir uma infraestrutura adequada para preservar a integridade de sua base de dados e a segurança dos sistemas do Cadastro Único, garantindo o cumprimento dos preceitos da LGPD.

A instituição afirmou também que continua investigando a situação e tomará as medidas cabíveis, se houver irregularidade com as devidas responsabilizações.

A ANPD, por sua vez, afirmou que cabe recurso contra a decisão e que só poderá se manifestar e avaliar as providências a serem tomadas quando formalmente notificada.

A Dataprev, empresa de tecnologia do governo federal, também foi considerada responsável pelo vazamento na ação movida pelo Instituto Sigilo.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação