Veja como obter planos de telefonia mais baratos

Saiba quais são os critérios necessários para desfrutar dos benefícios vindos do programa Telefone Popular. 

Compartilhe
PUBLICIDADE

O programa Acesso Individual Classe Especial (AICE), popularmente chamado de Telefone Popular, trata-se de um benefício cujo intuito é fornecer um serviço de telefonia fixa em valores mais acessíveis. Seu público alvo são famílias de renda que possuem inscrição no Cadastro Único (Cadúnico) para programas sociais. 

Em resumo, o Cadúnico diz respeito a uma ferramenta do Governo Federal, utilizada para identificar a população de baixa renda, e posteriormente direcioná-la ao amparo de programas assistenciais/sociais, a exemplo do Bolsa Família, BPC, Vale Gás e do próprio Telefone Popular.  Continue acompanhando, e saiba mais sobre o benefício e como fazer para adquiri-lo. 

Como funciona o Telefone Popular?

O programa faz parte do leque de benefícios que podem ser requeridos pelos inscritos no Cadúnico. Em suma, ao obter a assinatura mensal do Telefone Popular, é possível aproveitar uma tarifa reduzida, que gira em torno de R$ 15, ao mês. Contudo, o valor varia conforme impostos cobrados em cada estado, e da prestação da concessionária referente a região do solicitante. 

Uma vez instalado, o serviço disponibiliza 90 minutos mensais em chamadas para outros fixos. Isto é, a cada 30 dias, o beneficiário terá um total de uma hora e meia para utilizar o plano. Caso o tempo limite mensal seja ultrapassado, será preciso colocar mais crédito para tornar a utilizar a rede naquele mês. 

Também será necessário obter mais crédito em casos de: 

  • Ligações destinadas a celulares; 
  • Chamadas de longa distância; 
  • Ligações para o exterior (internacionais). 

Como faço para obter o benefício?

Como anteriormente dito, o programa somente ampara famílias inscritas no Cadúnico, logo, para quem já está incluído no sistema, basta seguir as orientações descritas abaixo: 

  1. Em primeiro lugar, certifique-se que o seu cadastro está com  dados atualizados há, pelo menos, 2 anos; 
  2. Em seguida, tenha em mãos as numerações referentes ao CPF (Cadastro de Pessoas Físicas), e ao NIS (Número de Identificação Social); 
  3. Por fim, portando os documentos descritos acima, o interessado deve contatar a concessionária referente a sua região. 

O contato com as concessionárias, pode ser feito através dos seguintes números de telefone: 

  • 10331 – Oi Região 1
  • 10314 – Oi Região 2 (antiga área de atendimento da Brasil Telecom)
  • 10312 – CTBC Telecom
  • 10343 – Sercomtel (referente ao interior do Paraná)
  • 10315 – Telefônica/Vivo.

Após o requerimento, a concessionária irá analisar o pedido, a fim de saber se o interessado tem direito ao benefício. Em caso positivo, a instalação do serviço assistencial deve ocorrer dentro de um período de sete dias. 

  • Leia também: 

Inscrição no Cadúnico 

No caso daqueles que não possuem inscrição no Cadúnico, antes de mais nada será necessário realizar o cadastro no sistema. Para tal, será necessário escolher um responsável familiar, reunir os documentos necessários e se dirigir pessoalmente a uma unidade de atendimento. 

Em suma, uma pessoa, de preferência uma mulher, será a responsável pela família, cabendo à ela levar os documentos necessários ao Centro de Referência de Assistência Social, local onde deve ser concluído o cadastro. Veja abaixo a documentação exigida: 

  • Para o responsável da família, basta ter em mãos o Título de Eleitor ou o CPF. No caso de indígenas, é permitido apresentar o RANI; 
  • Para os demais integrantes do grupo familiar, basta apresentar algum dos seguintes documentos: RG, CPF, Certidão de Nascimento, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento, Título de Eleitor ou RANI. 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação