Confira 4 dicas para gerenciar e trazer a produtividade e bem-estar aos colaboradores no Home Office

0

Depois de sete meses após o decreto de pandemia e do distanciamento social, muitas empresas continuam mantendo seus colaboradores em home office, o que vem mudando drasticamente as relações de trabalho principalmente com o início do retorno aos escritórios e o surgimento das modalidades hibridas e flexíveis.

Com isso, manter uma equipe engajada acaba sendo um desafio para muitos gestores, afinal o envolvimento de colaboradores está diretamente ligado à produtividade que tem impacto nos resultados das organizações.

Para isso, Rebeca Toyamaespecialista em estratégia de carreira traz 4 dicas para auxiliar as empresas a manterem suas equipes remotas motivadas, produtivas e felizes.

Segundo a pesquisa da Robert Half, realizada entre os dias 20 e 31 de julho, o distanciamento social acelerou a modalidade de trabalho remoto, onde antes da pandemia 35% dos profissionais faziam home office, depois do início, 95% tiveram a possibilidade de adotá-lo. 

De acordo com a pesquisa da FEA-USP em parceria com a FIA, existe um grande potencial de expansão do home office no Brasil pós-pandemia, principalmente em cargos de nível superior e gestores.

Uma grande mudança com o trabalho remoto

Vale destacar que existe uma mudança na forma como os colaboradores passaram a encarar o trabalho remoto, mesmo que muitos não tenham um espaço próprio para essa modalidade.

No Brasil, o espaço de trabalho em casa não fazia parte da maioria dos lares até em função do tamanho mais compacto das residências e baixa qualidade na conexão de internet.

“Mesmo com as vantagens do trabalho remoto, é importante lembrar que existem alguns fatores que precisam ser repensados e inovados pelas empresas, dando uma atenção especial também à saúde mental dos colaboradores, pois vem surgindo como um dos novos auxílios ofertados pelas organizações. ”, explica Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira.

Foram quebradas muitas barreiras que dificultavam a migração, e o distanciamento social provocou um aprendizado instantâneo e forçado, mesmo que muitas organizações e colaboradores não estavam preparados para esse salto, diversas ferramentas que conhecíamos como facilitadoras de encontros virtuais e conversas, hoje são utilizadas como instrumento de trabalho, e existem ainda ferramentas próprias de produtividade e gestão que pode ser uma boa saída.  

Como organizar?

Mesmo com várias ferramentas que facilitam o trabalho remoto, o papel do gestor ainda merece destaque, pois pode impactar negativamente produtividade e motivação.

“Tendo consciência da importância do papel do gestor no desenvolvimento de sua equipe, temos como passo olhar para essa relação com muita atenção, e a solução raramente está nos conhecimentos técnicos (hard skill), mas sim, nos conhecimentos comportamentais (soft skill). ”, alerta, Rebeca.

A especialista ainda comenta sobre as habilidades que é preciso desenvolver para saber lidar com as demandas e situações, “seja no papel de gestor, ou como colaborador consciente é importante se desenvolver as habilidades do futuro, que tem entre as principais a inteligência emocional e o pensamento crítico. ”, complementa.

Ajuda da tecnologia

Além disso, para ultrapassar esse obstáculo, a empresa precisa contar com tecnologia para realizar reuniões online, eventos à distância, e também ter uma boa comunicação. Esse conjunto de fatores normalmente gera boas condições de trabalho que proporciona capacidade de trabalhar nas demandas e dedicação.

“Com boas práticas, ferramentas adequadas e flexibilidade para equilibrar vida pessoal e profissional, é possível criar um ambiente favorável, trazendo mais produtividade, motivação e a união de todos esses fatores elevam os níveis de  bem-estar dos colaboradores. ”, finaliza, Rebeca Toyama.  

4 dicas fundamentais

E para auxiliar as organizações e gestores, a especialista em estratégia de carreira, Rebeca Toyama preparou 4 dicas de como engajar a equipe mesmo que à distância.

1- Mantenha o alinhamento das demandas: Mesmo à distância, o contato entre os membros de um time deve manter uma dinâmica colaborativa. Esse alinhamento pode reduzir bastante os desencontros do trabalho remoto.

2- Planejar e adequar tempo e tarefas: Uma das razões principais que ocasionam o acúmulo de tarefas é a falta de engajamento do colaborador e as dificuldades operacionais, como também o problema de adaptação e à falta de costume das pessoas em relação ao trabalho remoto.

3- Respeitar a dinâmica pessoal do colaborador: Ignorar a vida pessoal do colaborador não vai aumentar sua produtividade, não podemos esquecer que na expressão home office, o home vem antes do office.

O teletrabalho está acontecendo dentro da casa do nosso colaborador. Ajudar a equipe se organizar e se adequar às demandas profissionais passa por compreender a dinâmica pessoal dele.

4- Atividades para aliviar a pressão e conectar pessoas: Planejar momentos de distração e divertimento, como confraternizações e happy hour à distância é a pedida do momento.

As equipes precisam estar unidas, por isso, trazer mais leveza para o dia a dia precisa estar na lista de prioridades dos gestores.

Por Rebeca Toyama é fundadora da ACI e RT DHO, empresa com foco em bem-estar e educação corporativa.