15°C 29°C
Uberlândia, MG
Publicidade

Combustíveis sofrem reajustes e Câmara vota pelo ICMS congelado

Combustíveis sofrem reajustes e Câmara vota pelo ICMS congelado

11/03/2022 às 10h06 Atualizada em 11/03/2022 às 13h06
Por: Ana Luzia Rodrigues
Compartilhe:

Mais um reajuste nos combustíveis a partir desta sexta-feira, dia 11, provocou uma corrida dos motoristas aos postos de gasolina a fim de abastecer seus tanques. Em diversas cidades de vários estados brasileiros o que se via eram longas filas de espera.

Continua após a publicidade

O objetivo dos consumidores era encher o tanque antes que o novo preço entrasse em vigor. No entanto, muitos motoristas relataram que os reajustes nas bombas já tinham acontecido, o que levou o Procon a fiscalizar os postos e a pedir que os consumidores denunciassem os locais que praticaram reajustes antecipados.

Após 57 dias a Petrobras fará ajustes nos preços de gasolina e diesel nas refinarias, ou seja, para as distribuidoras a partir de hoje, dia 11 de março. No caso da gasolina, a alta será de 18,77%, fazendo o preço mais que dobrar em pouco mais de um ano. O GLP também sobe, após 152 dias.

O preço médio de venda da Petrobras nas refinarias ficou assim:

  • Gasolina: passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro, avanço de 18,77%.
  • Diesel: passará de R$ 3,61 para R$ 4,51 por litro, avanço de 24,9%.
  • GLP: passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg, equivalente a R$ 58,21 por 13 kg, alta de 16,06%.

ICMS dos combustíveis congelado por um ano

Tentando conter a alta dos combustíveis, na tarde de ontem, dia 10, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que altera a tributação do ICMS dos estados.

Continua após a publicidade

A proposta prevê uma alíquota fixa de ICMS a ser praticada por estados. A medida visa reduzir os preços dos combustíveis nas bombas em meio à pressão em cima do preço do barril de petróleo no mercado internacional provocado pela guerra entre Rússia e Ucrânia. 

A alíquota será definida em acordo com os estados, sendo que o imposto não poderá ser reajustado em 12 meses. Após esse prazo, o índice poderá ser alterado a cada seis meses. Para reduções, no entanto, há liberação para ser feita a qualquer momento.

O projeto determina uma fixação de alíquota pelos próximos 12 meses no diesel. O índice não poderá ultrapassar a média praticada nos últimos dois anos. Governadores se pronunciaram contra a proposta, pois acreditam que haverá forte queda na arrecadação. 

O texto agora  segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro (PL). Este, por sua vez,  afirmou durante sua live semanal nas redes sociais, que pretende sancionar imediatamente o Projeto de Lei Complementar (PLP) que altera a forma de cobrança do ICMS dos combustíveis.

Continua após a publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Uberlândia, MG
23°
Tempo limpo

Mín. 15° Máx. 29°

23° Sensação
7.2km/h Vento
56% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h36 Nascer do sol
05h44 Pôr do sol
Sex 30° 17°
Sáb 30° 18°
Dom 30° 16°
Seg 30° 18°
Ter 26° 15°
Atualizado às 11h07
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,15 -0,03%
Euro
R$ 5,58 -0,03%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,21%
Bitcoin
R$ 372,133,07 -1,55%
Ibovespa
124,699,29 pts -0.76%
Publicidade
Publicidade