Quinta, 29 de Fevereiro de 2024
23°

Tempo nublado

Uberlândia, MG

Dólar com.

R$ 4,97

Euro

R$ 5,39

Peso Arg.

R$ 0,01

Anúncio
News Yahoo Reforma

Reforma Tributária: Haddad afirma que governo quer votação ainda no 1º semestre deste ano

Reforma Tributária: Haddad afirma que governo quer votação ainda no 1º semestre deste ano

17/01/2023 11h42 Atualizada há 1 ano
0
Por: Esther Vasconcelos

Nesta segunda-feira (16), o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que, a depender do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Congresso Nacional votará a reforma tributária ainda no primeiro semestre deste ano.

A afirmação aconteceu durante uma entrevista concedida em Davos, na Suíça, onde ocorre o Fórum Econômico Mundial. Para Haddad, a proposta já está "muito madura" no debate sobre a necessidade de mudanças nas regras tributárias na Câmara dos Deputados e no Senado.

Haddad foi questionado sobre a viabilidade de aprovar as reformas, que não são discutidas há cerca de 10 anos, ele argumentou que a reforma tributária que os governos anteriores tentaram aprovar estava errada. E segundo ele a reforma que está sendo proposta é mais focada.

Leia Também: Ministro do TSE inclui minuta para mudar resultado de eleição em ação contra Bolsonaro

Alckmin defende reforma tributária

O vice-presidente e ministro da Indústria, Geraldo Alckmin, disse também nesta segunda (16), que o presidente Lula (PT) não cancelará as reformas trabalhista e previdenciária já aprovadas e defendeu a reforma tributária ainda neste ano.

Segundo Alckmin, a reforma tributária não do nenhum governo ou da oposição, mas sim do país. É senso comum que o Brasil precisa sair dessa caixa fiscal, pois estamos vivendo em um verdadeiro paraíso fiscal.

Segundo o vice de Lula, as reformas vão nessa direção, para simplificar e trazer maior segurança jurídica para o país. Alckmin também afirma que vai trabalhar para acabar com a cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Ele destacou que o IPI não constava da lista de medidas fiscais apresentada pelo Ministério da Fazenda na semana passada, e agora o próximo passo será buscar o fim do imposto, como o setor industrial vem pedindo há anos.

Leia Também: PF e Receita Federal realizam Operação Maat em Minas Gerais

Plano de ajuste fiscal

Simone Tebet, ministra do Planejamento e Orçamento, disse que o plano de ajuste fiscal anunciado pelo governo na semana passada é a "cara" de onde o presidente Lula quer chegar para reverter o déficit nas contas públicas.

"É um ano para votar a reforma tributária. É agora ou nunca", afirmou. A ministra afirma que irá trabalhar com todas as suas forças ao lado de Haddad, para que a reforma seja aprovada.

Tebet diz que um déficit de 2% do PIB é "inimaginável" e que isso impede o País de crescer e gerar emprego, ela lembrou que a grande mensagem do início do governo Lula foi mostrar interesse em reverter esse quadro.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.