Prestador de serviço precisa ter um CNPJ?

Prestador de serviço é um profissional que possui um contrato diferente e especial.

Compartilhe
PUBLICIDADE

A prestação de serviço é uma atividade cujo desempenho ocorre por uma pessoa física ou jurídica, com o objetivo de atender às necessidades de outra pessoa ou empresa. 

Na prática, o prestador de serviço disponibiliza conhecimentos, habilidades ou esforços para oferecer uma solução ao contratante.

No entanto, quando o assunto é regularização deste tipo de trabalho surgem algumas dúvidas, como se todo o prestador de serviços deve ser MEI ou se ele pode permanecer como profissional autônomo. Ao formalizar, a pessoa abre um CNPJ e isso pode ser bastante útil.

Outra questão é sobre quando usar um contrato de prestação de serviços. O prestador de serviço é aquele que recebe um pagamento em troca da realização de alguma atividade em que ele tem conhecimento e habilidade.

Vamos explicar mais sobre o assunto na leitura a seguir. Vem com a gente!

Leia também: Conheça Os Direitos De Um Prestador De Serviços

O que é um prestador de serviços?

A prestação de serviços ocorre quando um profissional presta serviços para uma empresa sem que haja um vínculo empregatício. Ela, então, pode ocorrer por trabalho eventual (freelancer) ou então pela contratação do trabalhador autônomo. 

Por outro lado, a contratação de trabalho autônomo se diferencia um pouco. Este tipo de trabalhador é semelhante ao freelancer, no entanto, é contratado como pessoa física e não jurídica. Para o recebimento, ele emite o RPA (repasse para autônomos), elaborado por quem contrata. Para isso é necessário ter registro no INSS como autônomo. 

Ou seja, a prestação de serviços é a possibilidade de que sua empresa seja favorecida pelos trabalhos de um profissional que não possui contrato de emprego com registro de carteira.

Nesse caso, ao invés do recolhimento de INSS e FGTS, bem como pagamento de horas extras e outras parcelas e adicionais típicos do trabalho celetista, há apenas o pagamento do acordado pelo serviço em si.

Todo prestador de serviços precisa ter CNPJ?

Agora vamos ao “x” da questão. A resposta é não é obrigatório, mas com essa formalização o profissional pode atuar com outras empresas, que exigem emissão de nota fiscal. Além de passar mais credibilidade e segurança para quem está contratando.

E ainda tem mais! Essa pode ser uma opção bastante vantajosa, tendo em vista que será possível:

  • Emitir notas fiscais;
  • Abrir conta bancária como pessoa jurídica;
  • Ter acesso a melhores condições de crédito bancário e a financiamentos;
  • Pagar menos impostos do que como pessoa física;
  • Maior credibilidade junto aos seus clientes;
  • Participar de licitações;
  • Prestar serviços para órgãos do governo.

Mesmo que os clientes não exijam nota fiscal, ser um prestador de serviços formalizado permite a busca por empréstimos para comprar equipamentos e alavancar o negócio. 

Em suma, por mais que não haja obrigação, é muito recomendável e traz muitos benefícios para o empreendedor.

Qual a importância do Contrato de Prestação de Serviços?

É necessário ter um documento oficial para garantir o cumprimento do acordo. No caso da prestação de serviços esse documento é o contrato de prestação de serviço.

Apesar desse documento não fazer parte de todas as atividades, ele pode ser usado em casos específicos.  O contrato é usado quando o serviço prestado envolve uma atividade que tenha maior valor sentimental ou financeiro. Ou seja, mais caro e que precisa de uma comprovação do que foi acordado.

Com um contrato, é possível definir alguns pontos importantes, como:

  • prazo para realização;
  • valor cobrado;
  • o que está contemplado naquela contratação;
  • consequências caso uma das partes não cumpra o combinado.

Este documento garante que o prestador de serviço e o cliente cumpram com tudo que foi combinado.

Leia também: Diferenças Cruciais Entre Prestador De Serviços E  Empregado CLT

Contabilidade de prestador de serviço PJ

Na contabilidade de um prestador de serviços  é necessário observar que há implicações fiscais e tributárias, dependendo do regime tributário. Vamos dar um exemplo: a necessidade de recolhimento de impostos específicos, como o ISS (Imposto sobre Serviços).

Por isso, é importante manter uma boa organização financeira desde o início. Utilize um sistema de gestão financeira para registrar suas receitas e despesas, emitir notas fiscais e controlar seu fluxo de caixa.

Outra questão importante é separar a conta bancária pessoa física da conta bancária da empresa. Isso facilita o registro de todas as receitas provenientes dos serviços prestados e quais as despesas relacionadas à operação da sua empresa de serviços.

Por isso é importante contar com a ajuda de um contador para melhor orientação.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação