A importância do planejamento de energia na sua empresa

A possibilidade de encarecimento da tarifa e as dificuldades econômicas decorrentes da pandemia exigem gestão energética eficiente.

0

Ter um planejamento do sistema de energia elétrica é uma estratégia fundamental para as empresas em 2021.

O cenário de geração no país apresenta-se desafiador: desde março, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) segue a diretriz de adoção de medidas excepcionais para assegurar os níveis dos armazenamentos dos reservatórios hidrelétricos.

A orientação se deu por conta da permanência de afluências abaixo da média histórica.

Entre setembro de 2020 e março de 2021, o Brasil registrou a pior afluência para o período em 91 anos.

A situação acendeu o alerta sobre a necessidade de procedimentos extraordinários que foram adotados em março e mantidos no mês de abril. 

Dentre esses procedimentos está a autorização do despacho de usinas termelétricas a gás natural liquefeito operacionalmente disponíveis e que não possuem em vigência contrato de comercialização de energia elétrica.

O acionamento pode ser feito pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) com antecipação de dois meses. 

De acordo com o CMSE, a medida busca “fazer frente ao atendimento à carga, à menor degradação dos armazenamentos dos reservatórios equivalentes das usinas hidrelétricas e à manutenção da governabilidade das cascatas hidráulicas.”

Apesar de reconhecer a situação crítica, o órgão afirma que não há risco de desabastecimento de energia no país. 

Reflexos econômicos

A iminente possibilidade de uso de energia das termelétricas traz a preocupação sobre os impactos financeiros para os consumidores.

Segundo projeção recente realizada pela MegaWhat Consultoria, a expectativa é que a bandeira tarifária vermelha-patamar 1 seja acionada em maio, o que irá significar o acréscimo de R$ 4,169 para cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. 

O encarecimento da conta de luz em meio às dificuldades financeiras decorrentes da pandemia da Covid-19 ameaça a sobrevivência de muitas empresas, uma vez que os custos com energia elétrica representam uma das principais despesas para os negócios de diferentes segmentos.

O Sebrae avalia que a situação demanda a criação de alternativas por parte das empresas.

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

“Planejamento, inovação e novas atitudes podem fazer a diferença no pagamento da conta de energia”, aponta o serviço.    

Planejamento de energia

Ainda de acordo com o Sebrae, para planejar o sistema de energia de uma empresa é necessário prever o consumo.

Isso é feito por meio da identificação das principais variáveis que interferem no uso de energia, a partir de um levantamento de dados que ofereçam uma base estatística.

“Com isso, é possível prever o consumo da energia em função das variáveis históricas que o influenciam”, explica.

Uma possibilidade apontada pelo Sebrae é evitar o uso de energia elétrica no horário de pico, compreendido entre 17h e 22h.

“Esse intervalo representa o auge do gasto energético no país. Para inibir as empresas de concentrarem seu consumo nesse horário, o que aumenta a pressão sobre o sistema elétrico, cada região determina um período de três horas em que as tarifas têm um preço mais elevado.”

A locação de geradores é uma estratégia para o planejamento de energia das empresas, uma vez que garante a continuidade das atividades sem a necessidade de uso de energia elétrica no período em que a tarifa está mais cara.

Envolver a equipe na gestão do consumo de energia também é primordial para o sucesso do planejamento da empresa. “É um desafio, mas o engajamento e a consciência de todos é fundamental”, orienta o Sebrae.