Auxílio Emergencial: Bolsa Família recebe a 6ª parcela nesta sexta-feira

Os beneficiários do Bolsa Família vão receber a penúltima parcela do auxílio emergencial

O Bolsa Família começa a receber nesta sexta-feira (17), a 6ª parcela do auxílio emergencial. Enquanto que o público geral começa a receber a partir da próxima terça-feira (21). Os primeiros a receberem serão os nascidos em janeiro.
Os inscritos no Bolsa Família recebem o auxílio emergencial através do calendário regular do programa social, conforme o número final do NIS (Número de Identificação Social).

Para o ministro da Cidadania, João Roma, em novembro, o governo estará liberando o auxílio Brasil, programa que irá substituir o Bolsa Família. A medida entrará em vigor assim que terminar o pagamento da última parcela do auxílio emergencial.

Quem não pode receber o auxílio emergencial?

  • Empregado formal ativo;
  • Membro de família com renda mensal acima de três salários mínimos (R$ 3,3 mil);
  • Residente no exterior;
  • Pessoas que recebem benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista, exceto Bolsa Família e Pis/Pasep;
  • Quem tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem tinha, em 31 de dezembro de 2019, bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, com soma superior a R$ 40 mil;
  • Tenha sido incluído como dependente, seja cônjuge, companheiro, filho ou enteado nas condições dispostas nos três itens anteriores;
  • Esteja preso em regime fechado ou tenha CPF vinculado à concessão de auxílio-reclusão;
  • Tenha menos de 18 anos, exceto mães adolescentes;
  • Tenha tido o auxílio emergencial em 2020 cancelado;
  • Não tenha movimentado valores do auxílio emergencial em 2020;
  • Seja estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo concedida por órgãos públicos.

Ministro diz que governo pode reeditar o auxílio emergencial

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (14), que se não houver a Reforma do Imposto de Renda, que deve servir de fonte para a ampliação do Bolsa Família, obrigará a reeditar o auxílio emergencial. A afirmação foi feita por ele durante evento do BTG Pactual.

“Inadvertidamente o mundo empresarial vai a Brasília e faz um lobby contra o (projeto de reforma do) Imposto de Renda. Ele na verdade está inviabilizando o (aumento do) Bolsa Família. Vai produzir uma reação do governo que é o seguinte: ah é, então quer dizer que não tem fonte não, né? Não tem tu vem tu mesmo. Então é o seguinte, bota aí R$ 500 logo de uma vez e é auxílio emergencial. A pandemia está aí, a pobreza está muito grande, vamos para o ‘vamos ver”.

Segundo a CNN Brasil, o ministro reconheceu que essa via criaria um “problema tremendo para todo mundo”. Embora o auxílio tenha sido crucial para ajudar famílias vulneráveis na pandemia, seu gasto, superior a R$ 300 bilhões, elevou a dívida pública de forma significativa.

“Ora, está criando um problema tremendo para todo mundo, inclusive para quem vos fala. Eu não estou lá para fazer bagunça, e vai virar bagunça se não tiver uma solução tecnicamente correta”, alertou Guedes.

No entanto, o ministro afirmou que a determinação do governo é elevar o valor do Bolsa Família para R$ 300.

Calendário da 6ª parcela do auxílio emergencial – Bolsa Família

Final do NISDia e Mês do pagamento do Bolsa Família 2021
118/0111/0218/0316/0418/0517/0619/0718/0817/0918/1017/1110/12
219/0112/0219/0319/0419/0518/0620/0719/0820/0919/1018/1113/12
320/0117/0222/0320/0420/0521/0621/0720/0821/0920/1019/1114/12
421/0118/0223/0322/0421/0522/0622/0723/0822/0921/1022/1115/12
522/0119/0224/0323/0424/0523/0623/0724/0823/0922/1023/1116/12
625/0122/0225/0326/0425/0524/0626/0725/0824/0925/1024/1117/12
726/0123/0226/0327/0426/0525/0627/0726/0827/0926/1025/1120/12
827/0124/0229/0328/0427/0528/0628/0727/0828/0927/1026/1121/12
928/0125/0230/0329/0428/0529/0629/0730/0829/0928/1029/1122/12
029/0126/0231/0330/0431/0530/0630/0731/0830/0929/1030/1123/12

Comentários estão fechados.