Beneficiário do auxílio emergencial passarão por uma reavaliação

0

Beneficiário do auxílio emergencial que recebeu a primeira parcela desde o mês de abril não irá receber o benefício a partir de maio. O Ministério da Cidadania irá reavaliar cada um dos benefícios.

Na verdade, esta reavaliação já estava nos planos e iria acontecer ao fim de cada pagamento do auxílio. No final de abril terminou o pagamento da primeira parcela. Agora está sendo preparada a liberação da segunda parcela.

É justamente neste intervalo que será feita a reavaliação de todas as contas para saber se a pessoa ainda se encaixa nos critérios do recebimento do benefício. Será verificado, se o beneficiário não registrou nenhuma mudança nos seus dados, sendo assim, receberá a segunda parcela.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal. / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mas, se você conseguiu um emprego com carteira assinada, não receberá mais o auxílio emergencial. Isso porque a regra determina que para receber o benefício, a pessoa não pode ter um emprego formal atualmente.

As revisões devem se repetir entre o segundo e o terceiro mês, bem como entre o terceiro e o quatro mês.

Revisão de dados do auxílio emergencial

No momento nenhum beneficiário sabe se irá receber ou não o auxílio. Enquanto isso, o governo realiza as revisões.

As revisões são de responsabilidade da Dataprev, que informou que ninguém precisa se preocupar com essa situação. Isso porque mesmo as pessoas que estão demorando para receber o benefício terá o direito de receber todas às quatro parcelas. Isso desde que passem por uma aprovação no cadastro.

Porém, se o cadastro passar por uma negativa, essas pessoas também terão o direito de contestar a decisão. O prazo para a contestação será de 10 dias. Ou seja, o mesmo prazo que todas as outras pessoas tiveram no início dos pagamentos no último mês de abril.
Pagamento do auxílio emergencial

Os valores do Auxílio Emergencial 2021 terá valores que vão variar entre R$ 150 a R$ 375. Sendo assim, A família com apenas uma pessoa receberá R$ 150, com duas ou mais pessoas receberá R$ 250 e as mulheres chefes de família, receberão R$ 375.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil