Ícone do site Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal

Brasil é o segundo maior mercado no ramo para pets

Designed byGladskikh Tatiana / shutterstock

Designed byGladskikh Tatiana / shutterstock

O brasileiro adora ter um “amiguinho” em casa. Não rara às vezes, muito mais que dois ou três. Com a pandemia, muitos voltaram suas atenções a seus cães, gatos, pássaros e peixes. Este segmento do mercado não tomou conhecimento da crise econômica que assolou a maioria do comércio. 

Os brasileiros gastam mais de 15 bilhões de reais por ano com produtos e serviços para animais, segundo dados divulgados pela Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação). Os números colocam o Brasil como o segundo maior mercado do mundo no ramo pet. Você sabia disso?

Os números extraordinários do setor nos últimos anos chamam a atenção. O faturamento total do segmento, que inclui indústria e varejo, foi de R$ 35,4 bilhões até o terceiro trimestre de 2019. Um crescimento de 3% sobre o ano anterior inteiro, que registrou R$ 34,4 bilhões, segundo o Instituto Pet Brasil. 

No PIB, o produto interno bruto do país, isso já se traduz em uma fatia de 0,36%, superior aos segmentos de utilidades domésticas e de automação industrial, segundo a Abinpet.

Dificilmente encontra-se crise nesse segmento, especialmente em comércio e serviços, que tem se mostrado cada vez mais criativos e inovadores, movimentando mais de R$34,4 bilhões no país.

Linhas de produtos gourmet

Um mercado tão promissor fez com que muitos empreendedores desenvolvessem seus negócios voltados para esse tipo de prestação de serviço. Para montar um pet shop é preciso ter em mente os serviços que serão oferecidos dentro dos 4 segmentos:

Outra curiosidade deste mercado é a diversidade nos produtos para os “bichinhos”. Existem cervejas, chocolates, alimentos nutritivos, suplementos, medicamentos, produtos para higiene e até mesmo peças de moda dedicadas exclusivamente para os pets

De olho nesta lucratividade, o chef e apresentador de TV, Érick Jacquin, lançou a marca Mon Petit Chéri, que produz molhos gourmet para bichinhos de estimação. São quatro sabores de molhos: salmão à carbonara, champignon ao azeite trufado, fois agridoce e legumes ao creme de leite. Os produtos podem ser consumidos por cachorros, gatos e até humanos. Bem, ao menos é isso que garante o apresentador.

Outros serviços para os pets

Além da venda de alimentos, o mercado expande oferecendo também  banhos, hidratação, tosa na máquina, tosa na tesoura, tosa higiênica, desembaraçamento, tingimento dos pelos, escovação de dentes, limpeza de ouvido e corte de unhas. 

O banho e a tosa se destacam como um dos serviços mais procurados em um pet shop. Conforme uma pesquisa desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Varejo e Comércio (SBVC), 90% dos entrevistados procuram esse estabelecimento para banhar e tosar seu pet.

Acredite ou não,  mas para algumas pessoas o pet shop não é apenas um local em que o seu pet pode ser banhado e tosado ou até mesmo medicado, mas também um espaço onde ele pode receber um tratamento sofisticado.

Algumas pessoas procuram o pet shop para realizar tratamentos no pet e até mesmo para hospedá-lo. Isso foi o que constatou uma recente pesquisa: 15% das pessoas que frequentam um certo pet shop, levam o seu pet para ser hidratado; 6%, para hospedá-lo; 4%, para deixá-lo com cuidadores qualificados; 2% para adestrá-lo; e mais 2% para realizar tratamento de ofurô e aromaterapia.

A tendência é que os serviços voltados para os pets se ampliem ainda mais, considerando que, no cenário atual, há uma intensa preocupação com o bem-estar do animal, o que pode motivar o surgimento de outros tipos de serviços. Conclusão: o céu é o limite quando o assunto são os cuidados com nossos amigos.

Sair da versão mobile