Brasil também adota semana de 4 dias de trabalho e 3 de descanso

A ideia já começa a ser levada a sério por algumas empresas, que já estão adotando o modelo

A semana de apenas 4 dias de trabalho e 3 descanso já vem sendo praticada em países como Japão, Islândia e Emirados Árabes Unidos. 

O debate sobre o assunto começou após o mundo ser atingido pela pandemia de Covid-19, que obrigou muitas empresas a se adaptarem a um novo modelo de trabalho híbrido ou totalmente remoto.

Nos Estados Unidos, a empresa de serviços financeiros Jeffrey realizou uma pesquisa que apontou que desde novembro de 2021, cerca de 32% dos jovens de 22 a 25 anos que pediram demissão de seus empregos permaneceram caso as empresas oferecessem uma semana de trabalho de quatro dias. 

O país norte-americano registrou um fenômeno no número de trabalhadores que deixaram seus empregos, foram 20 milhões de pessoas que solicitaram voluntariamente a sua demissão desde o início da pandemia de Covid-19.  Esse movimento ficou conhecido como “Grande Renúncia”. 

E no Brasil?

A ideia já começa a ser levada a sério por algumas empresas, que já estão adotando o modelo. Ainda são poucas em relação a outros países.

O empresário Luciano Braga, da Agência Shoot, apontou o crescimento de mais de 300% no interesse das vagas na sua agência após ele não só reduzir a semana para quatro dias como diminuir a carga horária para seis horas diárias. O depoimento foi dado ao site Educa Mais Brasil 

A nova jornada de trabalho de apenas quatro dias por semana não altera nenhum direito dos trabalhadores, o salário permanece o mesmo, é uma forma de motivar ainda mais os funcionários a se dedicarem no novo modelo.

Essa jornada de trabalho também é conhecida como 4×3, ou seja, 4 dias de trabalho e 3 dias de folga.

No Brasil existe uma expectativa que logo a maioria das empresas adotem o novo modelo de trabalho.

A legislação brasileira permite a semana de 4 dias e 3 de descanso?

De acordo com a legislação brasileira, a jornada deve ser de 8 horas diárias e 44 horas semanais. Contudo, nada impede que a carga horária seja menor. Isso porque a lei só impede jornadas maiores e não menores.

Em 2017, quando foi instituída a reforma trabalhista, passou a valer a carga horária de trabalho de até 30 horas semanais, sem opção de hora extra ou 26 horas semanais, com até 6 horas extras pagas. Neste caso, a empresa pode aplicar uma jornada parcial, liberando a semana de 4 dias, sendo que o profissional, em hipótese alguma, pode ultrapassar o limite de horas previstas no contrato.

A multinacional de alimentos e produtos farmacêuticos Unilever está testando a semana de quatro dias com a mesma remuneração por cerca de um ano, na Nova Zelândia. Caso o modelo atinja o que a empresa espera, será expandido para outros países.

Dica Extra: Você conhece os seus direitos trabalhistas?

Já sentiu em algum momento que você pode estar sendo passado pra trás pelo seu chefe ou pela empresa que te induz a aceitar situações irregulares no trabalho?

Sua dúvida é a mesma de milhares de pessoas. Mas saiba que a partir de agora você terá resposta para todas as suas dúvidas trabalhistas e saberá absolutamente tudo o que acontece antes, durante e depois de uma relação trabalhista.

Se você quer garantir todos os seus direitos trabalhistas como FGTS, adicionais, horas extras, descontos e saber como se posicionar no seu emprego sem ser mais obrigado a passar por abusos e ainda entendendo tudo que pode e que não pode na sua jornada de trabalho, clique aqui e saiba como!

Comentários estão fechados.