Respeitadas as particularidades das nossas empresas, será que as normas da contabilidade internacional podem ser aplicadas aqui? O condutor que se baseia nessas regulamentos deve considerar apenas a sua validade ou também a legalidade? Que benefícios práticos isso implica aos clientes? Essas são questões que iremos abordar neste artigo.

Deu a louca na Ensino Contábil, cursos de 80 a 110 reais (Saiba Mais)

Quem faz as normas de contabilidade internacional

Quando o assunto é contabilidade internacional, você precisa conhecer duas siglas principais:

  • IFRS – International Financial Reporter Standard
  • IASB – International Accounting Standards Board

A primeira delas diz respeito aos regulamentos internacionais de contabilidade publicados pela segunda, que é uma espécie de comitê mundial de normas contábeis.

Entre outras atribuições, a IASB é responsável não apenas pela publicação, mas também a revisão e a atualização daquilo que se defende como padrão internacional para um relatório financeiro contábil. É uma espécie de guia para contadores aplicarem em empresas de todos os portes.

Você certamente já ouviu falar sobre contabilidade internacional, IFRS e IASB, ao menos na graduação em Ciências Contábeis. Mas talvez esteja se perguntando agora sobre a relevância, validade e legalidade de suas normas. É sobre a aplicação delas nas empresas brasileiras que iremos falar no próximo tópico.

Normas IFRS: sou obrigado a segui-las?

Quando falamos das normas IFRS, estamos nos referindo a boas práticas aceitas em todo o mundo. Isso não significa, porém, que basta aplicar regulamentos da contabilidade internacional para ter resultados efetivos. Então, vamos entender os aspectos práticos das normas por três pontos de vista.

Sobre a obrigatoriedade

Em termos de legislação, há publicações que abordam a questão, a começar pelo Código Civil Brasileiro – Lei 10.406/2002. As leis 6.404/76 e 11.638/07 também merecem ser consultadas a esse respeito.

Mas como elas têm disposições direcionadas em sua maioria a grandes empresas, isso gera falta de consenso quanto à aplicação da contabilidade internacional em pequenos negócios.

É também por isso que uma atitude inteligente do contador é consultar a Resolução 1.255, publicada em 2009 e revisada em novembro de 2016 pelo Conselho Federal de Contabilidade(CFC).

Ela estabelece a NBC TG 1000 – Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas. A norma tem como base a IFRS for SMEs do IASB, cujo texto aprova práticas contábeis a adotar em estabelecimentos de menor porte.

Sobre a validade

Mais do que o aspecto obrigatório de aplicação da contabilidade internacional em pequenas empresas, vale questionar sua validade.

Embora, na rotina dos escritórios, as demandas costumam ser de total conhecimento e domínio de contadores, eventualmente, pode surgir uma questão de difícil solução. Nesses casos, ao se basear em regulamentos internacionais, o profissional conta com subsídios bastante úteis.

A questão é menos sobre imposição e muito mais sobre utilizar as normas IFRS para melhorar a empresa do cliente. Assim, não pode o contador se abster de conhecer tais regulamentos para se tornar um profissional ainda mais completo.

Sobre a relevância

Em julho deste ano, representantes do CFC estiveram na Suíça, participando de um evento internacional a respeito da aplicação das normas na contabilidade pública. De fato, para o contador que tem nesse o seu campo de atuação, os regulamentos aceitos em todo o mundo se tornam ainda mais relevantes. Afinal, atendem empresas obrigadas a realizar a prestação de contas.

Mas será que pequenas empresas, muitas vezes desobrigadas a cumprir as mesmas exigências das maiores, têm a ganhar também ao seguir as práticas da contabilidade internacional?

Para responder, basta refletir como as demonstrações financeiras desse perfil de empresa contribui para seus negócios. Sobre esse aspecto, parece inegável que há benefícios em sua relação com o mercado externo. Afinal, o uso de normas IFRS confere maior credibilidade aos resultados na visão de investidores, instituições financeiras, clientes e fornecedores.

A contabilidade internacional em pequenas empresas

O contador que tem nas pequenas empresas o perfil principal de cliente sabe que, por vezes, enfrenta resistência do empreendedor. Mas a falta de conhecimento dele não deve servir de obstáculo. É dever do profissional contábil mostrar como a adoção de determinadas práticas resulta em benefícios diversos.

Como lembramos antes, uma boa contabilidade pode fazer toda a diferença na hora de atrair investidores, assim como ao se relacionar com fornecedores e clientes. Mas talvez seja aobuscar crédito no mercado que tais vantagens apareçam de forma mais clara ao empresário.

O que as normas de contabilidade internacional objetivam é justamente a construção de elementos que evidenciem a realidade financeira da empresa e que eles sejam bem aceitos pelo mercado. E quando se fala em credibilidade e confiabilidade, a sigla IFRS produz um inegável efeito positivo na avaliação realizada pelas instituições financeiras.

Mas não é apenas o “selo” internacional que ajuda a empresa ao necessitar de empréstimos. A sua capacidade de pagamento é geralmente comprovada a partir de documentos desenvolvidos pelo contador. Estamos falando do balanço patrimonial e do DRE (Demonstrativo dos Resultados do Exercício).

É através de instrumentos como esse que a empresa atesta a sua saúde financeira ao mercado, a solidez de seus negócios e a eficiência de seu modelo de gestão.

Tais informações funcionam como um diferencial importante, se valendo do que versam as normas de contabilidade internacional para a sua construção. Vai muito além do fluxo de caixa e, portanto, concede uma nova visão do mercado a respeito da empresa do cliente

E qual seria o principal benefício para ele nessas situações? Maior facilidade na liberação de crédito, menores juros e condições mais vantajosas de pagamento, tanto junto aos bancos quanto aos fornecedores. Isso sem falar no ganho em atratividade da empresa aos olhos de investidores.

Mostre o valor da contabilidade internacional ao cliente

Um contador que se mantém por dentro das normas e avanços da contabilidade internacional se posiciona, cada vez mais, como um profissional interessado em oferecer soluções aos clientes.

Como vimos neste artigo, mais do que uma exigência, seguir por esse caminho é indicado pelo benefícios que gera ao escritório. Se você se interesse em agregar valor aos seus serviços, esse é um conhecimento que não tem preço.

Via ContaAzul

Comente

Comentários

Deixe uma resposta