Hoje em dia, a imagem de uma empresa diante de investidores, do mercado como um todo e até mesmo do seu público consumidor, é afetada pela existência, ou não, de uma política ambiental. Sabemos que a contabilidade tem também uma ramificação toda voltada para o propósito da sustentabilidade. Apesar disso, há evidentes dificuldades que se impõe ao processo da efetiva implementação da contabilidade ambiental nas empresas.

Parece ser confuso e, por isso, há equívocos desde a correta definição do que sejam custos ambientais, passando pela falta de esclarecimentos quanto aos ativos, falta de transparência sobre a quantificação dos danos consequentes das ações da empresa no meio, até a imprecisão quanto a assumir obrigações futuras levando em conta ações do passado.

Vamos falar dos passos necessários para por em prática a contabilidade ambiental nas empresas. Confira:

Fazer o registro das atividades

É preciso fazer registros contábeis específicos de todas as atividades da empresa que efetivamente causem, ou tenham o potencial de causar, qualquer impacto no meio ambiente, desde que tais ações possam ser medidas monetariamente.

Deverão também ser anotadas, nos devidos registros contábeis, todas as ações que a empresa venha a realizar com o propósito de amenizar as atividades impactantes no meio ambiente, ou mesmo no sentido da reparação de danos causados ao entorno.

Definir o que são os custos, os ativos e os passivos ambientais

Os custos ambientais são todos os investimentos diretos ou indiretos feitos no sistema de gerenciamento ambiental, em meio ao processo produtivo e às atividades de cunho ecológico da empresa. Os bens e diretos relacionados ou que provenham das atividades vinculadas à gestão ambiental da empresa serão os ativos ambientais. Podem apresentar-se em forma de capital circulante ou fixo.

No que diz respeito aos passivos, serão tudo o que está relacionado a financiamentos, e demais possibilidades, ligado às ações da empresa relativas ao meio ambiente. Devem estar claramente definidos e classificados no passivo circulante ou no realizável de longo prazo, sempre observando quais as contas contábeis específicas.

Informar quais foram os critérios adotados

[useful_banner_manager banners=12 count=1]

Anúncios

Essas informações devem constar nas Notas Explicativas Ambientais, que, por sua vez, têm que estar separadas de outros tipos de notas explicativas.

Nessas notas específicas, é preciso que estejam esclarecidos os critérios que a empresa adotou para avaliar seus estoques ambientais, considerar o valor que possuem e a depreciação que sofreram, informar que taxas utilizou no período do exercício, explicitar como avaliou o ativo (informando as bases que serviram de parâmetro para determinar os gastos ambientais), referir as dívidas que têm relação com as ações no meio ambiente (esclarecendo qual critério contábil usou para apropriação) e informar o valor do lucro do exercício que foi destinado para as atividades da empresa no meio ambiente.

Implantação da Norma ISO 14.001

A contabilidade encarada como forma de gestão ambiental já acumula orientações de institutos internacionais de padronização, como o International Organization for Standardization (ISO). Isso significa que existe uma forma particularmente pensada para orientar a estruturação das atividades voltadas para o meio ambiente. A norma ISO 14.001 trata dos requisitos necessários para a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental, algo pelo qual as empresas podem aderir voluntariamente.

Ter uma norma dessa natureza implantada representou a abertura de caminhos para que as empresas possam exercer a gestão ambiental como item determinante de competitividade diante do mercado internacional. É também interessante porque apresenta uma forma de gestão otimizada, orientando possibilidades para a redução de custos nas operações da empresa e até mesmo incorporando à contabilidade receitas advindas de subprodutos relacionados ao processo, como a venda de papelão, por exemplo.

Aprimorar o desempenho ambiental de uma empresa é tarefa intrinsecamente relacionada à contabilização financeira das atividades que ela exercer a partir desse propósito. Nesse sentido, o profissional de contabilidade é peça fundamental para o sucesso da implantação desse ramo das ciências contábeis nas organizações.

Matéria Original: https://blog.sage.com.br/gestao-contabil/como-implementar-a-contabilidade-ambiental-nas-empresas/