Conheça estratégias para aumentar a margem de lucro da sua empresa

Entenda neste post o que é, como calcular, qual a margem de lucro adequada para o seu negócio e descubra também como precificar o seu produto ou serviço.

0

Entre tantas dúvidas que podem surgir no momento de criar um negócio próspero, um questionamento frequente das pessoas que querem empreender é sobre qual a margem ideal de lucro para o meu modelo de empresa.

Mas, antes disso, você sabe o que é margem de lucro? Como se define esse valor? Como calcular? Você sabe se seu negócio é lucrativo? Bem, vamos às respostas?

O que é margem de lucro?

A grosso modo, podemos dizer que margem de lucro é aquele dinheirinho sobrando depois de você pagar todas as contas da empresa.

Esse valor pode ser reinvestido no seu negócio ou então ir direto para o seu bolso.

Por meio dele é possível determinar se o negócio ou produto é lucrativo ou não.

Então, a margem de lucro é o resultado, o valor final do percentual em comparação à receita total do negócio.

Mas é importante ressaltar: receita é todo aquele valor que entra, mas margem de lucro é apenas o que permanece depois de pagar todas as despesas do negócio.

Saber qual sua margem de lucro é extremamente importante, assim você conseguirá controlar melhor a saúde financeira da empresa.

Como algumas ações, poderá até mesmo descobrir se é viável aumentar e/ou diminuir o preço de um produto ou serviço.

Como é composta a margem de lucro de seu negócio?

A margem de lucro gira em torno de 3 principais pilares e sempre irá se referir ao valor obtido do lucro bruto e da receita total.

Os 3 pilares são:

Custo e Despesas

Custo é o valor gasto para a produção ou geração de produtos e serviços, ou seja, no custo entram todos os valores envolvidos na concretização do negócio, e que serão posteriormente disponibilizados aos clientes.

São exemplos de custo matéria-prima, mão de obra, entre outros.

Já despesas são gastos relacionados à administração da empresa como um todo.

São valores despendidos para manter o negócio funcionando, mas que não estão diretamente ligados ao desenvolvimento de novos produtos ou serviços.

Contas de luz, aluguel da sala e materiais de escritório são exemplos de despesas.

Preço de venda

Nesta etapa, precificamos o serviço e/ou produto, ou seja, a quantidade de dinheiro que está sendo cobrado.

Dessa forma, o preço é elaborado levando-se em conta seguintes critérios: custo de produção ou aquisição, margem de lucro prevista pelo vendedor, poder aquisitivo do público-alvo e posicionamento de preços dos seus concorrentes.

Lucro

Por fim, o lucro é o valor resultante da receita de uma transação, subtraindo os seus custos de produção, sendo todo o retorno obtido por meio dessa comercialização ou prestação de serviço.

Para o efetuar o cálculo de forma correta, você ainda precisa saber o que é:

1. Receita total: multiplicação entre o preço pelo qual foram vendidos os produtos ou serviços e a quantidade de vendas que aconteceram.

2. Margem de lucro: indicativo do quanto a empresa tem ganho nos serviços e/ou produtos oferecidos.

Precificando corretamente o seu produto

O primeiro passo para começar a calcular é saber qual é o preço líquido do produto.

Ou seja, sem os impostos.

Uma vez descoberto o preço líquido, você irá subtrair o quanto custa fazer aquele produto ou oferecer aquele serviço, e também as despesas relacionadas a ele.

O valor que sobrar será o seu lucro.

Cálculo:

Preço Líquido – Custo da produção e despesas = Lucro

Caso queira saber esse valor em porcentagem, é fácil! Divida o lucro pelo preço líquido de seu produto.

Lucro/Preço líquido = Porcentagem do lucro

Vamos ao exemplo para ficar mais claro?

Exemplo: Considere que um empresário possui uma loja de canetas e o preço de cada uma custa 6 reais, o imposto é de 1 real e suas despesas são de 2 reais.

R$ 6,00 (preço de venda) – R$ 1,00 (imposto) = R$ 5,00 será seu preço líquido por caneta.
R$ 5,00 (preço líquido) – R$ 2,00 (custos e despesas) = R$ 3,00 de lucro.

Para a porcentagem: R$ 3,00 (lucro) / R$ 5,00 (preço líquido) = 0,6% que significa 60% de lucro!

Atenção: Caso o negócio esteja enquadrado no modelo de MEI, pagará imposto se emitir NF (Nota Fiscal) para empresas e entidades governamentais, não precisando pagar imposto sobre a venda se vender sem emitir a NF.

Neste caso, não existirão imposto que incidam sobre seus produtos, porém em outras categorias existem.

O recomendável é pesquisar e certificar-se qual é o valor do imposto.

Como determinar a margem de lucro da minha empresa?

É fácil determinar a margem de lucro para sua empresa.

Ela é feita por meio de uma fórmula.

Podemos exemplificar de forma simples.

É só dividir o lucro pela receita total e multiplique o resultado por 100.

Para facilitar, vamos utilizar o exemplo do empresário tem uma loja de canetas e sua receita total foi de R$ 30 mil no final do mês.

Já todas as despesas da loja somam cerca de R$ 7 mil para realizar sua operação.

Como resultado, o lucro final do seu negócio é de R$ 13 mil.

Para efetuar o cálculo de forma correta, divida o resultado (lucro ou prejuízo) pela receita total e multiplique tudo por 100.

Como no exemplo abaixo:

Receita total – R$ 30.000

Despesas totais – R$ 7.000
Lucro – R$ 23.000
Margem de lucro – (23.000/30.000) x 100 = 76,6%

A loja de canetas possui um resultado extremamente positivo de 76,6% de lucratividade.

Ainda assim, caso haja alguma dúvida específica para o seu negócio, vale a pena pensar em procurar um contador.

Ele é o profissional mais indicado para te auxiliar e realizar uma análise completa da empresa.

Mas existe uma margem de lucro ideal?

Sim, existe uma margem de lucro ideal!

De forma simplificada, tudo dependerá do seu objetivo de negócio, da estratégia e, principalmente, do posicionamento de mercado x sua expectativa.

Quando o empreendedor abre uma empresa, uma de suas metas é ser uma máquina de vendas, na qual o faturamento se transforma em lucro e, posteriormente, em caixa.

Apesar disso, cada empresa tem uma margem de lucro específica, pois esse percentual (valor) depende de diversas variações, como o setor, o tipo de produto e/ou serviço realizado, o preço, etc.

Mas, em média, o lucro que se deve esperar é de:

  • 30% a 20% para serviços
  • 10% a 20% para comércio
  • 7% a 12% para indústria

Para realizar o cálculo ideal, basta utilizar o exemplo que demos na composição da margem de lucro, dividindo seu lucro pela receita total e, então, multiplicar por 100.

Assim, você terá uma visão geral da lucratividade e poderá precificar seus produtos adequadamente com o nicho de mercado.

Atenção: É fundamental que todos os custos sejam detalhadamente considerados.

O cálculo do preço do produto ou prestação de serviço precisa estar alinhado às necessidades do mercado.

Dessa forma, chegará na margem de lucro ideal para o negócio.

Estratégias para aumentar o lucro

Selecionamos as principais dicas para melhorar a estratégia de lucro seu negócio:

1. Preço competitivo e concorrentes

Uma das principais estratégias para aumentar o lucro da sua empresa é verificar se o seu preço está competitivo no nicho de mercado que está inserido.

No caso da caneta, vale pensar sobre abaixar o preço desse produto, pois assim seu preço ficará mais competitivo e atraente perante seus concorrentes.

Dessa forma, você conseguirá vender mais e obter mais lucro.

Exemplo abaixando o preço da caneta:

R$ 4,50 (preço de venda) – R$ 1,00 (imposto) = R$ 3,50 (preço líquido) – R$ 2,00 (custos e despesas) = R$ 1,50 (lucro)

R$ 1,50 (lucro) / R$ 3,50 (preço líquido) = 0,42% que significa 42% o que ainda é um bom lucro, mas ganharia no volume.

Portanto, conseguimos identificar se o preço está na média do mercado ou se será necessário uma readequação.

Avaliar e acompanhar a concorrência é importante durante a precificação dos seus produtos.

2. Planejamento de despesas

Os custos e despesas são fatores que interferem diretamente no preço do seu negócio.

Dessa forma, recomendamos que analise detalhadamente todos eles, principalmente os variáveis.

Assim você poderá evitar possíveis prejuízos e otimizar seu fluxo de caixa a longo prazo, avaliando o cenário atual da empresa e organizando a lucratividade conforme sua realidade.

3. Reduzir Custos

Como vimos, realizar o planejamento das despesas é algo essencial para a segurança do negócio e com isso, você poderá analisar se existe alguma oportunidade para redução de custos da empresa.

Uma alternativa é negociar com fornecedores e readequar o consumo de energia, por exemplo.

Toda economia mesmo que pouca a longo prazo será valiosa!

A revisão da parte operacional pode te auxiliar a ter uma visão geral, de quais práticas podem ser tomadas para economizar e ainda mais, melhorar a margem de lucro reduzindo custos.

4. Diferencial e atendimento

Atualmente, os clientes procuram mais do que um produto ou serviço, buscam experiência.

Portanto, olhe para o seu setor e encontre um diferencial para aplicar na sua empresa, assim, trará e fidelizará mais clientes gerando lucratividade.

Essa diferenciação se dá em diversos aspectos, como: no processo de venda, no atendimento ao público, na qualidade do serviço ou produto, no design, na garantia, na comunicação e propaganda, nas redes sociais, no ambiente ou local no qual ele é entregue, em suma, existem múltiplas possibilidades para se destacar e se diferenciar dos concorrentes.

Além disso, um negócio com alta margem de lucro está atrelado a um bom atendimento, por meio dele as empresas fidelizam os clientes, fazendo diferença na hora do faturamento.

Dessa maneira, invista no atendimento do seu público, como uma campanha para potenciais clientes, ações periódicas, promoções relâmpago, brindes e e-mails contando novidades da empresa.

Conclusão

Depois de todas as explicações, percebemos que a margem de lucro nada mais é do que o valor restante como resultado da sua venda após subtrair todas as despesas relacionadas ao seu produtos.

É também o máximo de percentual de desconto que você pode dar em cima do seu produto, sendo competitivo e não havendo prejuízo.

Nesse sentido, ela serve para avaliar e acompanhar o sucesso da sua empresa.

Por isso, é imprescindível saber calcular a margem de lucro.

Afinal, a empresa consegue, a partir desse valor, ter um panorama geral do desempenho de vendas, estimativa de crescimento e ainda é possível aumentar a assertividade na hora da tomada de decisões.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Conube