Conta de luz deve vir mais barata na próxima fatura

O fim da bandeira de escassez hídrica deve trazer um alívio ao bolso do consumidor.

Em abril de 2022, foi determinado o fim da chamada bandeira de escassez hídrica na conta de energia elétrica. Na prática, o consumidor deixa de pagar adicional de R$ 14,20 a cada a 100 kWh que incidia na fatura da conta de luz desde setembro de 2021. 

Conforme o informado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) no último dia 29 de abril, em maio, entra em vigor a bandeira verde para todos consumidores do Sistema Interligado Nacional, o qual abrange grande parte do país. 

Isto quer dizer que não haverá a incisão de nenhum adicional, ou seja, zero cobranças extras. A medida tornou-se viável devido às boas condições de geração de energia no país, segundo a Aneel. 

Em resumo, mediante a aplicação da bandeira verde, em geral, haverá uma redução na conta de luz paga pelo consumidor, pois, como dito, não há nenhuma espécie de adicional nas tarifas de energia. A referida bandeira mais barata entra em vigor pela primeira vez desde o final de 2020, quando a crise hídrica começou a assolar o país. 

Por sua vez, vale ressaltar que a partir de junho deve começar a incidir uma proposta que prevê reajustes quanto ao acréscimo pago em cada bandeira tarifária na conta de energia elétrica. 

Além disso, de acordo com a previsão da Aneel, a estimativa é que a bandeira vermelha volte a incidir em 2023, isto conforme o aumento no custo de produção de energia elétrica, que por sua vez, é repassado ao consumidor. 

Bandeira tarifárias de energia elétrica

Confira abaixo, quais são as bandeiras tarifárias, bem como seus respectivos acréscimos na conta de luz, antes e depois do reajuste previsto para junho. 

BandeiraAcréscimo atual a cada 100 kWhAcréscimo com o reajuste previsto, a cada 100 kWh
Verde R$ 0 (sem custos)R$ 0
AmarelaR$ 1,87 100 kWh de consumoR$ 2,87
Vermelha patamar 1R$ 3,97R$ 6,23
Vermelha patamar 2R$ R$ 9,49R$ 9,33

Comentários estão fechados.