Declaração de Débitos e Créditos Tributários: Veja do que se trata

0

Como anda o planejamento de impostos da sua empresa? Se você não quer ser pego desprevenido com custos extras, é importante tomar cuidado com as obrigações fiscais, não é? Isso inclui a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.

Quer saber como a DCTF funciona? É justamente o que vamos contar neste post, explicando quais são os tributos que devem ser declarados e quem é obrigado a emitir o documento.

Continue com a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais?

A DCTF é um documento obrigatório em empresas que fazem parte dos regimes tributários de Lucro Presumido e Lucro Real.

O que consta nele são os impostos pagos ao longo do mês.

O registro define o lançamento de crédito, assim como a forma que você usou para pagá-los.

Nesse caso, questões ligadas ao parcelamento ou quitação direta.

Multas e autuações são consequências da não emissão de pagamentos.

Qual é a utilidade desse documento? Pense da seguinte forma — os órgãos de fiscalização precisam encontrar uma forma de descobrir quem está inadimplente, não é? A DCTF mostra que as coisas estão “ok” com a sua empresa.

Quais tributos e contribuições devem ser declarados?

O documento serve para declarar vários tributos diferentes, são ao todo 12 contribuições.

Então, o primeiro passo para emiti-lo é conhecê-las, as principais são os impostos de renda — IRPJ e IRRF.

Tributos voltados a financiar a seguridade social, como o CSLL, também entram na declaração.

Isso serve igualmente para o financiamento dos benefícios para os trabalhadores e de serviços de previdência pública.

Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais

Nesse caso, PIS/PASEP e COFINS.

O financiamento das “intervenções no domínio econômico” é exigido no documento.

Aqui, entram o Cide-Remessa e o Cide-Combustível.

Por fim, IPI, IOF e CPRB não podem ficar de fora.

Quem é obrigado a entregar esse documento?

Existem vários critérios de obrigatoriedade para a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.

O primeiro é o regime tributário, se a sua empresa é optante do Lucro Real ou Presumido, deve emitir o documento.

Caso faça parte do Simples Nacional, a declaração ainda é necessária — dispensando a necessidade de informar os valores apurados.

PJs e empresas em início de atividade não precisam declarar.

MEs, EPPs, órgãos públicos e da união são igualmente dispensados, desde que paguem contribuição previdenciária.

O regime de enquadramento usado também é o Simples Nacional e a contribuição é colhida pelo DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional).

A Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais exige um bom trabalho de contabilidade para analisar os impostos da empresa e evitar multas.

O documento ainda regulariza sua atividade e garante que sua empresa não tem nenhuma pendência.

Fique de olho nos prazos de apresentação da DCTF.

O cronograma e os meses de entrega variam de acordo com o tipo de atividade empresarial, faturamento no ano, regime de tributação e natureza da organização.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

O nosso parceiro Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: FreeNFe