Entenda o aumento nos preços dos combustíveis.

Muito tem se falado sobre o aumento recorrente nos preços dos combustíveis. Atualmente, atingimos a marca de R$7,00 o litro do combustível.

Os aumentos nos preços dos combustíveis vem ocorrendo desde o início do ano e em algumas regiões o valor do litro já superou a faixa dos R$7,00.

Os valores exorbitantes afetam a vida de muitos brasileiros que se veem obrigados a pagar quantias elevadas para abastecer seus veículos. Continue a leitura e entenda o que tem acontecido e o quê ocasiona o aumento no preço do combustível no país.

Aumento dos valores

Somente durante o ano de 2021, o preço da gasolina já subiu 27,51%. O preço do diesel também segue em alta foi registrado 25,78% de aumento desde o início do ano. 

Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio do combustível se aproximou dos R$6,00. Cerca de 25% dos trabalhadores que atuavam como motoristas de aplicativo deixaram de exercer a função. 

O presidente república, Jair Bolsonaro, entrou em embates com os governadores dos Estados solicitando a redução do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços). Com a redução do imposto espera-se a diminuição nos valores dos combustíveis. 

Como chegou a este ponto?

Os preços dos combustíveis são definidos a partir do preço composto nas refinarias da Petrobras mais a soma dos tributos federais e estaduais como PIS/Pasep, CIDE, Cofins e ICMS. Também entram no cálculo os custos referentes a distribuição e a revenda do produto. 

A desvalorização do real também tem influenciado no aumento dos valores. O valor da gasolina é ligado ao dólar que permanece elevado, a valorização da moeda americana chegou a 11% comparada ao real brasileiro. 

O cenário político e econômico do Brasil não tem contribuído para a valorização da moeda brasileira, também não atrai muitos investidores, a maioria não deseja se arriscar no cenário de incerteza fiscal e institucional. 

Segundo o analista de consultoria de Tendências, Walter de Vitto “a questão fiscal precisa ser atacada, agora tem a questão política. Esses fatores geram incerteza, e o câmbio reflete tudo isso”. 

O analista chegou a afirmar que o câmbio é o principal responsável pelo aumento de preços, de acordo com Vitto, o dólar já teve valores mais elevados e mesmo assim o aumento do combustível não se deu da mesma forma. 

Ainda em conformidade com o analista, o aumento da demanda pela moeda americana faz com que a demanda pelo real seja reduzida fomentando sua desvalorização. 

A cotação do petróleo no mercado internacional também influi no preço dos combustíveis, ainda durante o governo do ex-Presidente da república, Michel Temer, a Petrobras optou pela alteração na sua política de preços para que ficasse em consonância com o mercado internacional.

Passou então a seguir as variações cambiais e os valores do petróleo no mercado internacional.

Caso ocorra elevação do commodity  o valor do combustível poderá ser elevado em nosso país, além da desvalorização do real, que também contribui para o impacto nos preços. 

Durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff os reajustes administrativos eram evitados, aumentos em combustíveis e na energia elétrica eram englobados por esta medida. Na época os investidores não viam com bons olhos a intervenção do Estado. 

ICMS e câmbio 

O tributo estadual ICMS tem um forte impacto sobre o preço dos combustíveis nos postos do Brasil. A alíquota costuma variar de Estado para Estado, em algumas regiões chega a incidir 30% na gasolina.

Na última segunda-feira (23), os governadores de 24 Estados e do Distrito Federal se juntaram para requerer uma reunião com o então presidente da república. Muitos criticaram as alegações proferidas pelo presidente. 

Foram arrecadados cerca de R$80,5 bilhões através do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços com a revenda de combustíveis, representando 15,41% do ganho total do ICMS. 

 

Comentários estão fechados.