Estou com o nome sujo, o que eu perco por estar negativado?

Saiba quais são as consequências do cidadão que está com nome sujo pode sofrer

Segundo dados levantados pela Serasa Experian no mês de março 65,69 milhões de pessoas estão com o nome sujo no país. Número esse que tem aumentado significativamente nos últimos anos.

A decisão de incluir o nome do consumidor nos órgãos de proteção ao crédito é feita pelas empresas que acabaram não recebendo o pagamento da conta.

Geralmente, antes de negativar o nome do cliente as empresas tentam negociar com o cliente, dando prazos ou descontos para que a conta seja paga.

Assim, somente após a tentativa de negociação e os prazos excedentes para pagamento é que a empresa toma a atitude incluir o nome do consumidor nos órgãos de proteção ao crédito.

Mas quais são as consequências de estar com nome sujo?

O principal problema de estar com o nome sujo é a dificuldade de conseguir ter uma modalidade de crédito. Seja um crediário em loja, a solicitação de um cartão de crédito, empréstimo ou financiamento.

Ainda segundo apontamento da Serasa, a dívida média dos brasileiros com o nome sujo gira em torno de pouco mais de R$ 4 mil.

Logo, como essas dívidas são menores, normalmente a maior dificuldade gira justamente com relação ao mercado de crédito.

Contudo, em algumas situações, que costumam ser quando o consumidor deve altos valores bens como imóveis e veículos podem ser bloqueados pela Justiça até o pagamento da dívida.

Mas vale lembrar também que nesse cenário existem exceções, como por exemplo se o imóvel for o único imóvel de posse da família.

Além disso, o dinheiro que o consumidor possui nos bancos pode ser usado para quitar os débitos, quando a empresa aciona na justiça o pagamento de uma dívida, por exemplo. Contudo, salário e poupança não podem ser penhorados.,

Comentários estão fechados.