A reforma da Previdência prevê uma série de regras de transição para quem já estava no mercado de trabalho antes de sua entrada em vigor. Mas quem começar a contribuir para a aposentadoria já precisará seguir as regras definitivas.

As exigências são as mesmas para os trabalhadores do setor privado, que contribuem ao INSS, e para os servidores públicos federais. Os novos trabalhadores só poderão se aposentar aos 62 anos, se mulher, ou 65 anos, se homem.

INSS

O tempo mínimo de contribuição é diferente. Para os servidores, é de 25 anos para mulheres e homens. No INSS, é de 15 anos e 20 anos, respectivamente.

Uma proposta chamada de “paralela” tramita no Congresso para alterar alguns pontos da reforma. Entre eles, um que reduz o tempo mínimo de contribuição, no INSS, para os homens que entrarem no mercado de trabalho de 20 para 15 anos. O texto ainda precisa ser votado no Senado e na Câmara. Até lá, vale o que foi aprovado na reforma da Previdência.

Os professores da educação básica precisarão cumprir idades menores de aposentadoria, de 57 anos para mulheres e 60 anos para homens. No entanto, para fazer jus ao benefício especial, precisarão contribuir por ao menos 25 anos, tanto no INSS quanto no serviço público.

Policiais federais, rodoviários federais, legislativos e agentes penitenciários, por sua vez, poderão se aposentar aos 55 anos de idade (homens e mulheres) e com 30 anos de contribuição, desde que 25 anos em efetivo cargo de natureza policial.

Com Portal Terra

APOSENTADORIA auxilio-doença CAIXA carreira clt CNPJ Cofins contabilidade contador contadores CONTRIBUINTE cpf CSLL declaração DINHEIRO EFD-REINF EMPRESA Empresas esocial FGTS FISCO ICMS IMPOSTO IMPOSTO DE RENDA impostos INSS IRPF IRPJ lucro presumido lucro real MEI negócios Nota Fiscal PIS previdência social RECEITA receita federal Reforma da Previdência reforma trabalhista SALÁRIO simples nacional sped trabalhador TRABALHO tributos