INSS: saiba como uma única contribuição pode subir o valor da aposentadoria

Para aqueles que estão perto de requerer a aposentadoria por idade saibam que existe uma forma de aumentar o valor do benefício de maneira significante, realizando apenas uma contribuição.

0

Para aqueles que estão perto de requerer a aposentadoria por idade saibam que existe uma forma de aumentar o valor do benefício de maneira significante, realizando apenas uma contribuição. 

Preciso ressaltar que conforme as regras do INSS é preciso ter realizado ao menos 15 anos de contribuições junto ao Instituto para ter direito a aposentadoria por idade, outro fator relevante é a idade, pois é necessário ter no caso das mulheres ao menos 60 anos e os homens 65 anos. 

Se você preenche os requisitos para solicitar a aposentadoria por idade, entenda que pode ser possível aumentar o valor do seu benefício e isso ocorre, pois, a partir da Reforma da Previdência que ocorreu em 2019, tornou-se permitido realizar o descarte de contribuições, o que pode levar a um menor valor do seu benefício. 

Isso quer dizer que se tornou possível realizar a separação do período de 15 anos onde o cidadão obteve um salário mais alto de contribuição com o INSS, e levar apenas esse cálculo em consideração para a aposentadoria. 

Por este motivo existem situações onde efetuar uma única contribuição pode levar o segurado a ter o valor do benefício multiplicado. 

O primeiro passo é consultar um advogado previdenciário para orientação, analise e explicação sobre a contribuição única. 

Photo by @photoroyalty / freepik
Photo by @photoroyalty / freepik

Entenda como funciona o cálculo. 

Foi determinada uma regra da maneira que será realizado o cálculo estipulado ao valor que será referente ao benefício segundo a Reforma da Previdência. 

A regra funciona da seguinte forma:  é disponibilizado 60% da média salarial do segurado que cumpriu o mínimo de 15 anos de contribuição + 2% a cada ano que ultrapassa esse período. 

Conforme mencionado, o INSS também permite que sejam descartadas as contribuições mais baixas, ou seja, aquelas que deixariam a média salarial mais baixa, que deixariam seu benefício com menor valor. 

Por isso em alguns casos pode se tornar mais benéfico ao segurado renunciar de alguns anos de contribuições, entretanto como já mencionei é importante realizar o cálculo contando com a ajuda de um advogado para que não haja falhas na hora de escolher o melhor caminho. 

O que é  “milagre” da contribuição única?

Essa situação só ocorre em casos extremos, dependendo de certas circunstâncias, portanto, para ser possível que com apenas um pagamento aumente muito o valor da aposentadoria atribuída ao segurado.

Considerando que após a reforma, o INSS, só contabiliza os salários de julho de 1994 em diante, o trabalhador, que já tenha atendido os 15 anos de contribuição, antes deste período, e a partir de 1995 para cá, teve contribuições baixas junto ao INSS, torna-se vantajoso descartar estas do cálculo. 

Além disso, caso o segurado realize uma única contribuição sobre o teto previdenciário, equivalente a R $6.433,57, ele receberia 60% de um único pagamento, no caso R $3.860,14.  

Destacando que isto só ocorre, pois, as contribuições anteriores a julho de 1994 não são incluídas no cálculo da média salarial. 

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.