A qualidade dos serviços de auditoria do Reino Unido é “inaceitável”, classificou o regulador de contabilidade britânico, segundo a Bloomberg. Os auditores não desafiam os gestores, não são suficientemente cépticos na análise e levam o processo de auditoria de forma inconsistente, afirma o Conselho de Relatórios Financeiros (FCR) na sua última publicação. O regulador acusa uma degradação dos serviços ao longo dos últimos cinco anos.

Para solucionar o problema, o conselho vai aumentar as inspeções às auditorias da KPMG em 25% durante o presente ano fiscal. Por seu lado, a auditora também decidiu tomar medidas, e criou um comitê na administração que estará encarregado de vigiar a qualidade das auditorias e de proceder a melhorias.

Esta não é a primeira vez que as auditorias são acusadas de falhas na execução. Um relatório do parlamento britânico, publicado no mês passado, criticava não só a KPMG mas também a Deloitte, a EY e a PwC, para além de alguns bancos, por uma fraca supervisão da Carillion. Esta empresa britânica, que se dedicava a gerir projetos do Governo, faliu.

As auditorias britânicas têm estado na mira do reguladores devido aos pedidos para que haja cisões nas grandes empresas do setor, as chamadas “big four”. Após a revisão de dezasseis auditorias, o FCR detectou que metade necessitava de algumas ou significantes melhorias.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.