MEI: Conheça as suas obrigações acessórias

0

A categoria MEI (microempreendedor individual) foi criada para facilitar a formalização das atividades dos empreendedores brasileiros.

Através desta categoria, também é possível ter acesso à vários benefícios, além da cobertura previdenciária para o segurado e seus dependentes. 

No entanto, é necessário saber que também existem certas obrigações acessórias que devem ser cumpridas, a fim de garantir a regularidade do empreendimento e garantir que o profissional não sofra penalidades como multas ou possa perder o CNPJ. Por isso, é essencial conhecer as principais obrigações do MEI e cumpri-las. Então, confira! 

MEI

É importante ressaltar que as obrigações do MEI não são muitas, mas precisam ser levadas a sério. Então, para entender melhor como funcionam, vamos partir da inscrição do MEI.

A partir deste momento temos a contribuição mensal que é calculada de acordo com o salário mínimo nacional e o tipo de atividade desenvolvida pelo empreendedor. 

DAS-MEI

Esta é uma das primeiras obrigações do MEI e se trata da guia mensal de pagamento, cujo vencimento acontece no dia 20 de cada mês.

O documento é emitido através do Portal do Empreendedor ou Programa Gerador PGMEI que, além do DAS, disponibiliza ainda a consulta de pendências e extratos. A partir deste mês o cálculo será da seguinte forma: 

  • 5% sobre o valor do salário mínimo para o INSS o que corresponde à R$ 55 em 2021;
  • R$ 1 referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) se a sua atividade estiver relacionada ao comércio ou indústria;
  • R$ 5 de Imposto sobre Serviços (ISS), se for do ramo de serviços. 

Se a empresa estiver enquadrada em ambos – comércio e serviços, deve ser feito o recolhimento dos dois impostos, o que mantém a regularidade do empreendimento. Fazendo os cálculos para 2021, veja como fica a contribuição mensal do MEI:

  • Comércio e Indústria: R$ 56,00 (INSS + ICMS)
  • Serviços –  R$ 60,00 (INSS + ISS)
  • Comércio e Serviços – R$ 61,00 (INSS + ICMS/ISS)

Nota fiscal

Ao formalizar, o MEI pode utilizar o número de CNPJ, para emitir notas fiscais para pessoas físicas e jurídicas. No entanto, quando os serviços são prestados direto para um consumidor final, ou seja, para pessoas físicas, não é necessário emitir a nota fiscal.

Se o serviço for prestado para pessoas jurídicas, para empresas de qualquer porte, a nota fiscal deve ser emitida.

Relatório mensal 

É importante manter um relatório mensal de receitas brutas para comprovação das receitas, onde deverão ser anexadas as notas fiscais de entrada de mercadorias e serviços tomados, bem como as notas fiscais de vendas ou prestação de serviços emitidas.

Esse processo amplia o controle das entradas e saídas do negócio e auxilia na elaboração da Declaração Anual do Faturamento do Simples Nacional. Então, certifique-se de fazer o relatório até o dia 20 de cada mês, anexando as notas fiscais.

DASN-SIMEI

Através da Declaração Anual do Faturamento do Simples Nacional (DASN-SIMEI), o MEI informa o montante recebido ao longo do último ano de exercício.

Essa declaração deve ser entregue até o último dia de maio de cada ano e, em caso de atraso, é aplicada multa que incidirá sobre o montante dos tributos indicados no DASN-SIMEI. 

Se esta obrigação não for cumprida, o MEI também fica impedido de gerar o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) mensal.

Então, para elaborar e entregar a DASN-SIMEI, acesse o Portal do Empreendedor, no card “Faça sua Declaração Anual de Faturamento (DASN-SIMEI).

Muitos empreendedores se questionam se o MEI que não teve faturamento no ano ou estava sem movimento, tem de entregar a Declaração Anual.

Então, saiba que é necessário elaborar a declaração relativa às informações do ano anterior. Neste caso, informando R$ 0,00 (sem faturamento), nos campos das Receitas Brutas Vendas e/ou Serviços.

Contratação de funcionário 

Sabemos que o MEI pode contratar um colaborador para auxiliar em suas atividades diárias. Desta forma, o empreendedor deve preencher os documentos de Informação à Previdência Social (GFIP) e a Guia do FGTS

O próximo passo é enviar os documentos para o Sistema de Conectividade Social da Caixa Econômica Federal até o dia 7 de cada mês, além de assinar a carteira de trabalho do colaborador e cumprir com todos os direitos trabalhistas do novo contratado.

O mesmo vale para casos de demissão, que também devem ser informados aos órgãos competentes. 

Preciso ter contabilidade?

Vale ressaltar que o MEI fica dispensado da escrituração dos livros fiscais e contábeis, da Declaração Eletrônica de Serviços e da emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Mas, não é obrigado a contratar um contador como ocorre com outros tipos de empresa. 

Também não é preciso ter livro caixa. No entanto, a contabilidade é uma ótima opção para garantir que seja feito o acompanhamento adequado da saúde financeira do seu empreendimento, além de te auxiliar a cumprir com as obrigações que mencionamos acima de acordo com o prazo. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda