Abrir o próprio negócio não é nada fácil. Além de ter de lidar com despesas e documentações, você também precisa organizar todo o fluxo de caixa e ser seu próprio patrão. Para regularizar esse tipo de trabalho, que até pouco tempo atrás era considerado informal, em 2008 foi criada a Lei nº128. A partir da formalização do Microempreendedor Individual (MEI), surgiram também opções específicas de crédito para esse tipo de trabalhador.

Com o objetivo de impulsionar e ajudar pequenos negócios, o empréstimo para MEI costuma ter juros mais baixos e ser mais fácil de contratar. Entretanto, é necessário informar ao banco o motivo de uso do crédito e não confundir as despesas pessoais com os gastos da pequena empresa.


Para entender melhor como funciona, quais são as vantagens e como contratar um empréstimo para MEI, confira os tópicos a seguir.

Empréstimo para MEI: como funciona?

Diferentemente de um simples empréstimo pessoal, o crédito para MEI não pode ser usado da maneira que o cliente desejar. No momento de solicitação do crédito, o trabalhador deve informar o motivo do empréstimo à instituição financeira ou ao banco. Seja para aumentar o faturamento da empresa, equilibrar o fluxo de caixa ou comprar equipamentos, é necessário mostrar ao credor como o crédito será usado em prol da pequena empresa.

Existem muitas instituições financeiras e bancos que acompanham o uso do dinheiro e prestam um serviço de consultoria para os empreendedores, a fim de impulsionar o crescimento daquela pequena empresa. Esses bancos e financeiras geralmente possuem linhas de empréstimo para MEI específicas, como é o caso do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Empréstimo para MEI: quais as vantagens?

Mesmo que dependa da decisão de cada instituição financeira, muitos credores oferecem benefícios para o MEI que deseja empréstimo. Há modalidades que também ajudam o MEI em todo o planejamento do negócio, sugerindo corte de gastos ou investimentos.

Outra grande vantagem de pedir crédito para MEI é a redução de juros. A Caixa Econômica, por exemplo, concede redução de tarifas ou até mesmo isenção em algumas modalidades. Essa vantagem geralmente é concedida quando o microempreendedor comprova a aplicação do crédito em benefícios para a empresa ou negócio.

Existe uma outra opção de crédito chamada microcrédito. Com valores mais baixos que um empréstimo normal, o microcrédito geralmente apresenta juros baixíssimos ou nem cobra juros. Apesar de ser mais difícil de conseguir, existem diversas instituições que oferecem este tipo de crédito, basta conferir a lista no site do BNDES.


Empréstimo para MEI: como contratar?

Para solicitar um empréstimo como microempreendedor, é preciso saber o objetivo do crédito e ter algumas informações em mãos. Veja, a seguir, o que é requisitado na hora de contratar um empréstimo de Microempreendedor Individual e o que é bom saber.

  • Documentação – Cada banco ou financeira exige uma lista própria de documentos, mas em geral é necessário apresentar RG, CPF, comprovante de residência e Certificado do MEI;
  • Plano de Investimento – Quando você for solicitar o crédito, é necessário já saber o motivo para o uso do dinheiro. Caso seja para comprar equipamentos, faça uma pesquisa com os preços dos itens que precisa e liste-os. É recomendado ter em mãos quais são os gastos que pretende fazer com aquele crédito.
  • Comprovante de Renda – Para atestar que você e sua empresa são estáveis, leve o comprovante de renda pessoal e o da pequena empresa. Desse modo, a instituição financeira sabe qual é a sua situação financeira e analisa se você é um bom pagador.

Empréstimo para MEI: quais são as preocupações antes de contratar?

O empréstimo para pequenos empreendedores pode ajudar bastante aqueles que buscam começar um negócio ou que precisam apenas receber uma mãozinha na hora de fechar o balanço do mês. Além dos juros mais baixos, o crédito para MEI também auxilia a pequena empresa a crescer, orientando o empreendedor a planejar bem os custos e despesas.

Mas, para fazer com que o empréstimo ajude o negócio, é necessário tomar algumas precauções antes de contratar o crédito e durante o uso do dinheiro:

Parcelas

Antes de contrair o crédito, veja se as parcelas determinadas pelo credor cabem no seu orçamento mensal e no da empresa. Faça as contas e tenha certeza que você consegue pagar o valor estipulado. Caso a parcela esteja acima do seu orçamento, veja se o credor consegue fazer parcelas menores, aumentando o prazo de pagamento ou diminuindo o valor do empréstimo. Não comece um empréstimo com dúvidas se consegue pagar as parcelas, porque suas dívidas podem aumentar e virar uma bola de neve.

Projeto do crédito

Se assegure que você vai usar o dinheiro para o motivo que informou ao banco. Aproveite para anotar todos os custos que vai fazer com o crédito e veja se ao longo dos meses você está usando o dinheiro como afirmou ao credor. Além de honrar com a promessa, as finanças ficarão mais organizadas para você e sua empresa.

Separe as despesas

É muito importante fazer uma separação clara do que faz parte do dinheiro pessoal e do que é o dinheiro da pequena empresa. Evite misturar as despesas e principalmente o crédito concedido para você. Caso consiga o empréstimo para MEI, utilize-o apenas para melhorar e resolver problemas do negócio.

Dica: Atenção você contador ou estudante de contabilidade, conheça nosso treinamento voltado para contadores iniciantes, ensinando na prática procedimentos contábeis que todo contador precisa saber, mas que não se ensina na faculdade.

Tudo que você precisa saber para abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs, Contabilidade, Imposto de Renda. Quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade!

Conteúdo original IQ