Elaborar um planejamento estratégico é crucial para melhorar o desempenho de uma empresa e torná-la melhor direcionada e eficiente na busca por resultados. Além disso, o planejamento estratégico permite a identificação e otimização de pontos fortes do negócio.

Para este conceito ficar mais claro, pense no planejamento estratégico como um conjunto de práticas capazes de gerar um plano para dar à empresa uma vantagem competitiva por meio da diferenciação. A questão é: como arquitetar esse planejamento com acerto?

Nos tópicos seguintes, vamos explicar 7 passos para “decolar” e criar um planejamento estratégico de uma empresa com sucesso. Portanto, continue sua leitura com atenção.

1º passo: olhe para o ambiente externo

Um dos principais passos para criar um planejamento estratégico é olhar para o ambiente externo: não só para os concorrentes, mas também para o contexto em que a sua empresa está inserida. Esse ambiente é composto por diversas variáveis, como a econômica, política e ambiental, que influenciam com significância o sucesso do seu empreendimento — e também do plano que será criado.

É preciso investigar duas coisas: as oportunidades e ameaças que se relacionam com o seu negócio. A redução de um determinado imposto, por exemplo, pode ser uma grande oportunidade.

Também é preciso ficar de olho em variáveis externas que são mais concretas e estão próximas da sua empresa, como os concorrentes, consumidores e até órgãos regulares. Desse modo, terá uma visão mais sistêmica e poderá tomar decisões acertadas.

2º passo: avalie os recursos disponíveis à empresa

Toda empresa é, na verdade, um conjunto de recursos. São recursos humanos, financeiros e materiais alocados para que determinados resultados sejam satisfeitos. A questão é: esses recursos são pontos fortes ou pontos fracos na empresa?

Nesse segundo passo, é preciso olhar para dentro da empresa e fazer um diagnóstico. Avaliar se os recursos disponíveis à empresa são pontos fortes (isto é, competências) que podem ser usados ou o contrário, pontos fracos que precisam de melhoria. Essa análise vai te ajudar a elaborar um planejamento estratégico.

Se você sabe, por exemplo, que suas máquinas e softwares estão deterioradas, é sinal de que tem uma fraqueza. Logo, não vai querer basear sua estratégia em tecnologias, sabendo que elas precisam melhorar. Ao conhecer seus recursos, saberá o que pode (ou não) dar certo.

3º passo: determine os objetivos e metas

Boas estratégias costumam estabelecer uma direção clara, um norte que direciona todos os profissionais. Para tanto, um plano estratégico precisa de objetivos e metas. Nesse caso, o objetivo representa uma direção maior, o alvo; as metas funcionam como um passo a passo.

Então, comece se questionando aonde quer chegar com o plano. Aumentar sua participação de mercado? Tornar a experiência de compra única? dobrar os resultados financeiros? Há muitas possibilidades, por isso vale a pena escolher uma realmente interessante.

Em seguida, é preciso criar um passo a passo até seus objetivos. Para tal fim, faça duas perguntas: quais passos devem ser tomados para alcançar nosso objetivo? Depois: esses passos podem ser fragmentados em subpassos? Assim você terá uma direção clara.

SAIBA+AZULIS: Análise SWOT: o que é, como interpretar e suas principais vantagens

4º passo: determine seu posicionamento no mercado

Um dos conceitos mais importantes de estratégia foi criado por Michael Porter, professor da Harvard University. Ele define estratégia como um posicionamento que objetiva dar à empresa uma vantagem competitiva sobre seus rivais.

Para ele, existem três estratégias genéricas de posicionamento que podem te ajudar a se posicionar no mercado e, com isso, criar um planejamento estratégico: a liderança de baixo custo, a diferenciação e o enfoque.

A liderança de baixo custo foca em oferecer produtos com preços mais baixos que os demais competidores do mercado. Desse modo, é possível chamar a atenção do seu público-alvo e alavancar as vendas. Ou seja, é uma estratégica focada no preço.

A ideia de diferenciação, por sua vez, está ligada a estabelecer diferenciais, geralmente ligados à qualidade ou características do seu produto, para se destacar da concorrência.

A última estratégia de posicionamento, o enfoque, está focada em oferecer um produto para um público específico, um nicho de mercado. Por exemplo, roupas para mulheres gestantes ou games para colecionadores. Assim, conseguirá uma posição de destaque.

SAIBA+AZULIS: Break even point: o que é, como calcular e atingir para o seu negócio

5º passo: construa um plano de ação

Até agora, você viu como considerar variáveis internas e externas, definir suas metas e se posicionar para obter um desempenho superior à média do mercado. Todavia, ainda falta algo muito importante para criar um plano estratégico: o chamado plano de ação.

Em resumo, o plano de ação é uma ferramenta que facilita a execução da estratégia, explicando minuciosamente o que deve ser feito, como, quando e por quem, além de quanto isso vai custar. Por causa disso, o plano de ação é uma parte indispensável do planejamento.

Para criar seu plano de ação, você pode contar com o 5W2H: uma ferramenta gerencial composta por 7 perguntas, sendo que 5 começam com a letra W e 2, com H. Ao respondê-las, terá um mapa que explica o que deve ser feito: seu plano de ação. Quer saber como executar o 5W2H? Confira o artigo completo que preparamos sobre o assunto: Plano de ação 5W2H – O que é e como fazer?

6º passo: selecione um conjunto de indicadores

Como saber se o planejamento estratégico está sendo bem executado e se seus objetivos estão sendo alcançados? Esse monitoramento é uma tarefa difícil, mas ela pode ser facilitada com a definição de indicadores de desempenho.

Também chamados de KPIs, esses indicadores funcionam como um termômetro. Eles indicam se os resultados alcançados estão de acordo com os desejados ou não. Assim, é possível promover ajustes em tempo real e minimizar os danos ao empreendimento.

Existem muitos tipos de indicadores de desempenho. O percentual de participação no mercado (market share) é um dos exemplos. Também é possível destacar o nível de lealdade dos clientes (NPS), a assiduidade da equipe ou a margem de lucro líquido do exercício.

7º passo: mantenha os pés no chão

Ao seguir as últimas dicas, você conseguirá conduzir um ótimo planejamento estratégico e criar uma estratégia útil à empresa. Mas é preciso destacar uma última coisa para elaborar um plano estratégico: mantenha os pés no chão. Nunca seja excêntrico ou incrédulo demais.

Cuidado para não traçar objetivos muito árduos e que não estimulam a equipe de trabalho. Ou o contrário: criar metas simplistas e que não influenciam no crescimento da empresa. É preciso encontrar um ponto de equilíbrio ao longo do planejamento.

Como você pôde ver, o planejamento estratégico de uma empresa depende de um conjunto de etapas. São atividades difíceis que demandam tempo, energia e dinheiro. Todavia, ao executá-las certo, no fim das contas você terá uma estratégia realmente interessante e capaz de te colocar à frente da concorrência. Então, basta pôr tudo em prática.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta. E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Fonte: Azulis