Quando começa o saque Emergencial do FGTS de R$ 1.100?

0

Os trabalhadores que atuam ou que já atuaram de carteira assinada por algum período e contam com saldo nas contas vinculadas ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), aguardam para uma possível liberação do saque emergencial, que no ano passado permitiu que os trabalhadores pudessem resgatar até um salário mínimo das contas vinculadas do Fundo de Garantia.

A medida que veio a ser estipulada para 2021 é aguardada pelos trabalhadores, no entanto, a notícia não é tão boa quanto se esperava para o resgate do FGTS.

Fonte: Google
Fonte: Google

Saque emergencial do FGTS

Em 2020, durante o período de pandemia da Covid-19, o governo federal liberou o saque emergencial do FGTS para todos os trabalhadores que possuíam saldo em conta, sendo conta ativa (emprego atual) e contas inativas (empregos anteriores).

Independente de quanto o trabalhador tinha de saldo, o limite máximo para resgate foi de R$ 1.045 (valor do salário mínimo em 2020). O calendário de saques foi escalonado conforme o mês de aniversário dos trabalhadores, e não havia limite mínimo de saque.

Para esse ano a medida era esperada após a confirmação no final do ano passado do plano de contenção aos impactos da pandemia em 2021. Plano esse elaborado conforme o governo vinha encerrando diversos programas emergenciais como o próprio auxílio emergencial.

Saque emergencial será liberado?

Indo direto ao ponto, não! Infelizmente, após uma longa espera e a pouca informação sobre a medida, no início do mês o ministério da Economia, enviou uma nota dizendo que o governo não tinha pretensão de liberar o saque este ano.

Segundo nota do ministério, o governo federal vem levando seus esforços para trazer medidas de maior impacto aos brasileiros mais vulneráveis bem como para a economia, reeditando diversos programas emergenciais como o auxílio emergencial, a antecipação do 13º salário do INSS, o Benefício de Prestação Continuada (BEm), dentre outras.

Logo, o saque emergencial do FGTS veio a ser descartado pelo governo, além disso, nos últimos dois anos já houve a possibilidade de saques do fundo, como o saque imediato em 2019 e o saque emergencial em 2020, logo, uma nova liberação do saldo poderia comprometer a sustentabilidade do fundo, deixando ainda mais complexo a liberação da medida para este ano.