SISTEMAS DE GESTÃO COMO ALIADOS EM MOMENTOS DE CRISE

0
40

_*Por Fábio Túlio Felippe_

Os aparatos tecnológicos revolucionaram o cenário corporativo e
também trouxeram uma série de dúvidas. Uma coisa, porém, é certa: a
implantação de softwares empresariais em conjunto com uma competente
gestão de processos e pessoas resultam, definitivamente, em uma
melhoria expressiva para o negócio.

Cada vez mais as pequenas empresas percebem a importância de uma
ferramenta que oferece automatização, otimização de recursos,
controle de operações e agilidade nos processos, em momentos de crise.
Não por acaso, a consultoria IDC aponta crescimento deste mercado a 11%
ao ano.



As empresas experienciam cotidianamente alterações na sua dinâmica.
Uma das principais razões para implantar um ERP é a habilidade que
este tem em minimizar custos, através da capacidade de aperfeiçoamento
da automatização, monitorização e coordenação dos processos.

A estabilidade, parametrização e acessibilidade dos ERP são
ferramentas poderosas no desenvolvimento de sua eficácia. Um sistema
que simplifique, garanta controle, unifique e padronize a base de dados,
evita erros, retrabalho e garante acesso aos dados de forma facilitada.
Além disso, softwares de gestão são portadores das melhores práticas
do mercado, o que ajuda o administrador a saber se o que está fazendo
é indicado e correto.

A automação dos processos é responsável por agilizar os
procedimentos internos, aumentando também a eficiência dos serviços.
Se o investimento for viável tecnicamente e financeiramente, a
tecnologia pode ser um divisor de águas, reduzindo perdas e desvios com
aumento de produtividade e ganho de rentabilidade.



Prova disso, a Nucleus Research (Boston, MA) realizou uma pesquisa em
2014 e concluiu que, em cada R$ 1,00 investido em sistemas de gestão
ERP, o retorno é até de 700%. As empresas que investiram em
ferramentas de gestão num período de 5 anos cresceram no mínimo 36%.
Esta é a maior prova de que as empresas se beneficiam com a
implementação de um ERP.

É verdade que existem custos associados à aquisição de um software
de gestão, como a implementação, otimização ao modelo de negócio e
atualizações permanentes para o seu bom funcionamento. No entanto, as
vantagens, que vão muito além das que enunciamos até aqui, são
motivos mais do que suficientes para se investir neles como aliados em
épocas de crise.

_*__Fábio Túlio Felippe é diretor presidente da Jiva Gestão
Empresarial, especializada em soluções de gestão empresarial para
pequenas empresas e que atua no modelo de franquias._

* Este artigo reflete as opiniões do autor, e não do JORNAL CONTÁBIL. O Jornal Contábil não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.