Trabalhadores usam a Revisão do FGTS contra alta da inflação e podem receber R$ 10 mil

A revisão do FGTS é a melhor opção para os trabalhadores reporem perdas sofridas ao longo do anos

Milhares de trabalhadores brasileiros têm despertado para a necessidade de proteger o patrimônio guardado no Fundo de Garantia, a poupança forçada do trabalhador. O caminho é o pedido de revisão do FGTS para reposição das perdas em comparação com a inflação.

Todas as pessoas que trabalharam em algum período desde 1999, mesmo que já tenha efetuado saque do fundo, pode fazer o pedido e reaver um dinheiro que estava “perdido”. 

Você pode consultar sua situação gratuitamente por meio da ferramenta LOIT FGTS clicando aqui.

Contexto atual, inflação em alta, FGTS em baixa

A inflação alta prejudica os salários do trabalhador, porque tudo o que o trabalhador compra vai subindo, enquanto o salário fica parado. 

Isso se reflete também na perda do poder de compra e o FGTS, a poupança forçada, que fica muito defasada, porque os preços de consumo sobem, enquanto a TR é igual a zero. Quando o trabalhador tem que levantar o FGTS, no momento da demissão, sua garantia está desfalcada por causa das perdas inflacionárias.

A estratégia usada pelos poupadores é a Revisão do FGTS, ação judicial que pede a mudança do índice de correção monetária da atual TR, que não reflete a perda real com a carestia, para o IPCA, índice apropriado para a finalidade de manter o valor de compra do dinheiro, diante da contínua desvalorização inflacionária. 

A Revisão do FGTS segue a discussão da Ação Direta de Inconstitucionalidade 5090, movida pelo Partido Solidariedade desde 2014, que está para ser julgada no STF desde 2019. Todos os brasileiros que trabalharam como empregados desde 1999 até agora podem ter direito, mesmo quando já sacaram todos os valores depositados.

Mobilização para a revisão do FGTS

Por isso, centenas de milhares de trabalhadores vêm se insurgindo contra essas perdas. Inicialmente, o trabalhador deve descobrir o valor dessas perdas, usando a calculadora LOIT FGTS. As pessoas que buscam a plataforma têm, em média, cerca de R$10.000,00 para revisar do saldo de seu de FGTS. 

A Revisão também rende juros reais de 6% ao ano, que o trabalhador passa a ter direito no momento em que entra na justiça, sendo portanto aconselhável que se procure os Juizados Especiais Federais com seus pedidos o quanto antes.

O procedimento no Juizado Especial Federal dispensa a participação de advogados, quando a Revisão não ultrapassar R$72.600,00, e é isento de custas judiciais. É uma via segura e muito acessível ao trabalhador.

Alguns milhares de prejudicados, além de fazer cálculo inicial, usaram a LOIT ( https://fgts.loitlegal.com.br ), startup voltada à facilitação do acesso à justiça, para obter o kit com o requerimento e da planilha já preenchida, com os índices corretos, ajuda com o checklist de documentos e tudo o mais que precisa para ingressar no Juizado Especial Federal, permitindo que o trabalhador consiga acessar seu direito de Revisão do FGTS de forma segura, rápida e com um custo baixo.

Advogados também podem se beneficiar da tecnologia

Advogados que desejam trabalhar com a tese, ajudar seus clientes e, por que não, conquistar novos clientes, podem também utilizar a tecnologia do ELI FGTS para executar as ações com poucos cliques, usando o cálculo gratuito e os documentos gerados automaticamente pelo sistema. Basta acessar https://fgts.elibot.com.br 

Comentários estão fechados.