Você conhece o Redesim? Saiba como desburocratizar a abertura de uma empresa

No Brasil a burocracia é parte de vários processos, inclusive o de fechamento e abertura de empresas e negócios. Graças a essas várias etapas burocráticas os processos de aberturas de empresa podem demorar um tempo considerável.

A abertura de um negócio pode levar até dois meses, contudo, ainda existem outros pontos para botar o negócio no mercado. É o caso dos alvarás e permissões para atuação, todos os procedimentos envolvem etapas burocráticas. 

O Redesim é um projeto que vêm sendo pensado para combater essa burocratização excessiva dos trâmites legais para a abertura de empresas e negócios, entenda do que se trata a proposta. 

Conheça o Redesim

O Redesim, ou Rede Nacional para Simplificação do Registro de Empresas e Negócios é um projeto que tem como objetivo amenizar a burocracia para a abertura de empresas. 

O projeto se deu pela Lei 11.598 que vigora desde dezembro de 2007. O programa instaurado pela Lei, realiza a integração de vários processos que se davam separadamente. 

A integração abarcou etapas como registro, alteração, baixa e inscrição das empresas. O mecanismo efetua a integração dos dados e ainda auxilia para que não ocorra nenhuma duplicidade de informações. 

Ponto de vista dos empresários

Muitos empresários e empreendedores acabavam se perdendo em meio aos processos burocráticos, muitas plataformas sem integração e várias informações desconexas contribuíam para o atraso dos procedimentos. 

O Redesim ajuda a instaurar a inclusão social e econômica das iniciativas livres e das atividades empresariais e ainda impulsiona o mercado econômico brasileiro. 

Atuação do programa Redesim

O sistema de integração oferece diversas funcionalidades, entre elas está a possibilidade para verificar a possibilidade atuação em algum endereço indicado, para obter essas informações o sistema utiliza a base de dados referente ao município onde a PJ se encontra. 

O PJ pode averiguar por meio do programa se o nome o endereço consultado foram aprovados para uso, após a aprovação desta etapa o CNPJ será disponibilizado. 

Já o Coletor Nacional deverá ser acessado após a Prefeitura conceder a aprovação. O Coletor é um sistema que pertence à Receita Federal, nele é preciso realizar o preenchimento dos dados solicitados pelo Documento Básico de Entrada (DBE). 

Caso o DBE seja aprovado, o PJ deverá efetuar o registro no órgão que corresponde a finalidade OAB, Cartório ou Junta Comercial. 

As licenças e inscrições tributárias também podem ser emitidas por meio do Redesim, dentre elas estão o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, inscrição estadual ou no Distrito Federal e inscrição municipal. 

Dentre as licenças estão as autorizações referentes a segurança sanitária, controle ambiental, prevenção contra incêndios e pânico, e as demais autorizações e licenças previstas pela legislação. 

O uso do programa é obrigatório para órgãos federais, mas demais entidades podem usufruir do sistema. Para participar do projeto é preciso acessar a plataforma do Redesim, no portal estarão disponibilizados os serviços oferecidos. 

A integração do sistema auxilia os empresários e empreendedores na resolução dos procedimentos administrativos e burocráticos. 

Através da integração de dados, se tornou desnecessário se dirigir a diversos órgãos e entidades para solucionar uma questão simples, esse tipo de iniciativa estimula o mercado e a economia do país. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.