Você conhece todas as moedas do Brasil que já foram usadas?

0

Para quem tem 15 anos de idade, não conhece a história de nossa moeda, ou seja, do nosso dinheiro. Vão descobrir reviravoltas de causar inveja a roteiro de série.

O Brasil já possuiu diversas moedas e cédulas diferentes até aos dias de hoje. Mas, você conhece as moedas que já foram usadas em nosso país?

Então, senta que lá vem história!

Foi no período colonial que começou a circular o dinheiro no Brasil, trazido pelos portugueses. Dessa época pra cá, ele vem evoluindo e somente a com implementação do Real, em 1994, que nossa moeda se estabilizou.

O sistema monetário é de uma importância muito grande e teve papel fundamental na evolução da nossa economia.

Então, vamos contar a história do dinheiro no Brasil.

Réis

Por um bom tempo, a nossa economia se baseou no sistema de trocas; só pro curiosidade, até o açúcar foi usado como forma de pagamento.

Entretanto, com a colonização uma moeda entrou em vigor, sendo a primeira das moedas do Brasil. Conhecida como Réis, sendo utilizada durante o tempo do período colonial, independência e República até 1942.

Cruzeiro

O Cruzeiro unificou as cédulas no Brasil. Antes, só haviam 56 tipos diferentes de cédulas em circulação no país.

No começo circulou as notas de 10, 20, 50, 100, 200, 500 e 1000. Depois de alguns anos, acontece uma falta de recursos do governo, o que levou a ser criadas as notas de 1 e 2 para substituir as moedas.

O cruzeiro foi derrotado na década de 60 pela inflação, mas, deixou grandes aprendizados para os brasileiros.

Sendo a primeira cédula originalmente imprensa em solo brasileiro, em 1961, antes elas eram impressas no Estados Unidos da América (EUA) ou Europa.

Mais uma vez a inflação foi terrível com a moeda, e nos últimos anos de sua circulação foram criadas as notas de Cr$ 5.000 e Cr$ 10.000. Nos tempos atuais, elas seriam notas de R$ 500 e R$ 1000.

A inflação chega a 25% em 1961, o que levou a moeda a ser abandonada por uma nova tentativa.

O governo se viu obrigado a cortar os zeros, e desta forma, um cruzeiro foi equivalente a mil Réis, ou um Conto de Réis (R$ 1$000= Cr$ 1).
Em 1967, após atingir a inflação de 25%, a moeda foi abandonada por uma nova tentativa.

Cruzeiro Novo

Com a inflação atingindo o país, mais uma vez o Cruzeiro foi abalado, o que levou o governo a criar o Cruzeiro Novo (uma moeda temporária onde que cada 1 NCr$ valeria exatamente Cr$ 1.000(Cruzeiro antigo).

Foi uma alternativa para dar tempo de imprimir as novas cédulas de Cruzeiro. Dessa forma foram criadas as cédulas antigas que foram carimbadas com novos valores, sem os 3 zeros, e voltaram a circular.

Depois de 3 anos de circulação, aconteceu a etapa final da reforma monetária em curso, de modo que a moeda no Brasil voltaria a se chamar Cruzeiro.

Cruzeiro

Com as reviravoltas na economia, a mudança de nome, cada Novo Cruzeiro passou a ter um valor de 1 Cruzeiro. Foi uma tentativa de restabelecer a credibilidade da moeda anterior, que conseguiu permanecer em circulação durante 16 anos.

Mas, nos anos 80, o vilão estava de volta para dar novas emoções na economia, a inflação chegou a um ponto que conseguiu derrotar o Cruzeiro.

Cruzado

Debit

Então, o presidente José Sarney e sua equipe econômica criaram o Plano Cruzado.
O Plano criado pelo governo era para derrotar a inflação e aumentar o poder aquisitivo do povo. Nos primeiros meses do Plano, as antigas cédulas de cruzeiro foram carimbadas com o novo valor em cruzados; mil cruzeiros passaram a valer Cz$ 1 (Cr$ 1000 = Cz$ 1).

Mas, as emoções ficaram mais fortes, a inflação estava muito elevada, obrigando Sarney a fazer uma segunda reforma monetária.

Cruzado Novo

Com isso, a nova moeda passou a se chamar Cruzado Novo, que começou a circular em 16 de janeiro de 1989 (mil cruzados passaram a valer 1 cruzado novo (Cz$ 1000 = NCz$ 1).

Novamente os zeros foram cortados com o surgimento da nova moeda (Cruzado Novo). As notas de Cruzado receberam um carimbo com o novo valor no período de transição, depois vieram as novas cédulas.

Cruzeiro

Quem disse que dinheiro não tem remake. O Cruzeiro voltava com uma nova roupagem, e tinha a mesma missão, lutar contra a inflação. Mas uma vez o governo usava o corte zeros, coisa que não tinha dado certo antes, porque esquecia que além de cortar os zeros, precisariam acabar com os gastos públicos, e isso não aconteceu.

A inflação ficou tão forte que praticamente já estava indexada. Levando contratos e pagamentos serem reajustados automaticamente pela inflação (e essa inimiga ficava cada vez mais forte). Em 1989, a inflação já estava em 29%.

E foi nessa época, que a história criou um drama super forte para o brasileiro, o confisco monetário, no governo de Fernando Collor de Mello.

O governo congelou por 18 meses 80% de todos os depósitos e aplicações bancárias que excedessem NCz 50.000.

Passou-se um ano, e lá vinha o governo novamente a criar uma nova cédula, eram notas de 10.000, 50.000 e 500.000. Foram planejadas cédulas de 1.000 e 5.000, mas nunca chegaram a circular.

Cruzeiro Real

Cédula Brasil - Cruzeiro Real - Cr$1000 - 1993 - Fe - L.1588 - R ...

A inflação mandava na história, e novamente bagunçava a economia brasileira, levando o então presidente da República, Itamar Franco implantar o Cruzeiro Real que passou a circular em agosto de 1993, substituindo o Cruzeiro, que mais uma vez saia de cena. Naquela época, mil cruzeiros passaram a valer 1 cruzeiro real (Cr$ 1000 = Cr$ 1).

Real

CEDULA DO REAL - 1ª FAMILIA - C-327 - FE

Em 1994, entrava em vigor o Real (moeda usada até os dias de hoje). Lançada no governo Itamar Franco, pelo ministro da economia, Fernando Henrique Cardoso, que tinha a intenção de criar uma moeda forte e acabar de vez com a inflação. Naquele mesmo ano, FHC se tornava presidente do Brasil.

Plano Real

Foi o grande responsável por controlar as taxas de inflação no país. Ele ainda é estudado em diversas universidades em todo o mundo.

Plano Real trazia com ele, uma moeda que foi um dos casos de maior sucesso na política monetária. Atrelada ao dólar no padrão R$ 1= US$ 1 e a um brusco aumento na taxa de juros brasileira, o choque fez com que finalmente o país tinha conseguido ter uma moeda em que se podia confiar.

Quando surgiu em julho de 1994 (2 750 cruzeiro equivaliam a uma unidade de Real chamada de URV, que valia 1 real) CR$ 2 750 = URV 1 = R$ 1.

Você pode ver como o dinheiro no Brasil tem emoções fortes de uma série de TV! Mas, vamos torcer para que o Real seja a nossa moeda definitiva.