Fantasia ou realidade? Simples ou complicado? Aguardar ou agir?
São tantos os questionamentos sobre esse tema tão comentado entre os profissionais de RH e departamento pessoal nos últimos anos, mas quais seriam as respostas corretas? Sinceramente, eu não tenho uma resposta para todas elas. O que sei é que esta é uma ótima oportunidade para todos nós.
Começamos a ouvir falar em eSocial no ano de 2012. Desde lá 4 anos se passaram e houve 3 prorrogações de prazo e 6 layouts liberados. Recentemente o prazo foi adiado para janeiro/2018, em seguida o layout 2.2 foi liberado e por último o novo manual já está disponível para todos no site oficial www.esocial.gov.br.
Nada disso é novidade e nem absurdo pra mim. Com uma participação singela nesse projeto, entendo perfeitamente o quão trabalhoso, oneroso e perfeccionista ele tende a ser. Do perfeccionismo percebo que já abriram mão, até porque isso tornaria a sua concretização quase impossível, e por esse motivo hoje acredito 100% na aplicação do tal.
Participo de muitas palestras, assisto muitos vídeos, leio diversos textos, artigos e principalmente críticas a respeito de todo esse contexto do eSocial de pessoas que não estão diretamente ligadas ao desenvolvimento do projeto, mas aí eu pergunto: teria como todos participarem de um projeto desse tamanho?
Sei que todos os lados precisam ser ouvidos, mas tudo tem um limite. Penso que já são muitos os envolvidos e por isso há tanta demora em colocar em prática. Claro que um projeto de tão ampla abrangência precisa ter a visão 360 graus de tudo que irá atingir.
Há muitas opiniões paralelas, como por exemplo, de que esse projeto deveria ter nascido pequeno, colocando registros de admissões e com o tempo ir amadurecendo até que em vários anos contemple tudo que diz respeito à lei trabalhista e previdenciária. Concordo, mas as decisões acerca destes tópicos já foram feitas anteriormente e, hoje, não há mais espaço para lamúrias em relação ao prosseguimento da implantação do eSocial.
O eSocial é sim um projeto de proporção gigantesca e enquanto muitos estão parados esperando a notícia de que o eSocial foi abortado, o governo está trabalhando nele a todo vapor. Sei que agora o eSocial é uma questão de honra para a Receita Federal, Ministério do Trabalho e Previdência Social.
Por isso, digo e repito o que já mencionei acima: o eSocial é uma oportunidade de melhorias e de aprendizado para todos os envolvidos. Hoje se pensa mais em fiscalização, mas olhando para o futuro, pode-se perceber uma incrível melhora nos processos burocráticos que envolvem a empresa e seus colaboradores. E por que falo de oportunidades?
Ora, vamos praticar a empatia e avaliar o eSocial pelo ponto de vista de 9 esferas:
Governo – se o papel dele é fiscalizar e arrecadar, ótima oportunidade…
Empregadores – se o papel deles é cumprir a lei, ótima oportunidade…
Empregados – se o papel deles é ter os direitos garantidos, ótima oportunidade…
Estagiários – se o papel deles é aprender uma profissão praticando-a, ótima oportunidade…
Avulsos – se o papel deles é ter os mesmos direitos dos empregados, ótima oportunidade…
Profissionais de dp – se o papel deles sempre foi desvalorizado no meio contábil, ótima oportunidade…
Médicos do trabalho – se esta profissão sempre foi descaracterizada, ótima oportunidade…
Empresas de contabilidade – se reclamam dizendo que são meros emissores de livros fiscais, ótima oportunidade…
Empresas de software – se softwares são todos iguais, então, ótima oportunidade…
…ótima oportunidade para todos nós provarmos o contrário e fazer acontecer!!!
Mas, e se o eSocial não entrar em vigor?
Duvido muito dessa possibilidade, mas quem perderia algo analisando os pontos descritos acima se o eSocial fosse praticado desde sempre?
Todos só temos a ganhar!
Ahh, mas a legislação trabalhista e previdenciária é impraticável?
Concordo que em vários momentos sim, mas então devemos parar de reclamar e mostrar porque é impraticável e cobrar das autoridades governamentais.
Devemos parar de tentar achar um “jeitinho” pra tudo que não concordamos ou até mesmo quando vemos que podemos tirar algum tipo de vantagem. Chega de “jeitinho brasileiro”. Sinceramente me incomoda muito ouvir essa expressão.
“Ok Jení, você me convenceu: o eSocial é uma realidade, é complicado e quero agir. Por onde começo?”
Não fique só na espera do tempo passar, pois quando chegar a hora você vai desejar ter começado hoje.
Acompanhe semanalmente novos artigos com os passos que você deve seguir para ter um eSocial mais tranquilo.
*Jení Carla Fritzke Schülter – Consultora e Analista de negócios da SCI Sistemas Contábeis
Fonte: Contabilidade na TV via http://sesconfloripa.org.br/

Deixe uma resposta