Matriz BCG, saiba como definir o preço de seus produtos

Utilizar ferramentas gerenciais é uma iniciativa que trará vantagens para sua empresa. O ato de pôr as estratégias no papel facilita a visualização das ideias e a tomada de decisões. Um recurso poderoso para isso na hora de analisar a performance dos seus produtos e serviços é a Matriz BCG, ideal para identificar o que gera mais ou menos retorno, com muito ou pouco esforço.

Quer saber como aplicá-la e como ela pode ajudar sua empresa? Então continue lendo!

O que é a Matriz BCG?

A Matriz BCG é uma ferramenta gerencial dividida em dois eixos: taxa de crescimento do mercado e participação do produto no mercado. O diagrama abaixo mostra o layout básico da Matriz:

Matriz BCG

bcg

Como podemos ver no gráfico acima, a Matriz BCG classifica os produtos em quatro categorias:

Vacas leiteiras

A analogia com vacas leiteiras refere-se a produtos e serviços já consagrados no mercado, que oferecem um alto retorno sem demandar grandes esforços de venda e estratégias de marketing por parte da empresa. Em outras palavras, é o sonho de qualquer empreendedor. Você deve trabalhar para alocar o seu portfólio nesse quadrante.

Estrelas

Aqui, posicionamos os produtos que têm alta lucratividade, mas que ainda exigem muito esforço do seu negócio para gerar retorno, demandando gastos em marketing e uma equipe de vendas mais dedicada.

Pontos de interrogação

Fazem parte desse quadrante os produtos que ainda não oferecem lucros, embora a empresa esteja investindo em sua presença no mercado. Normalmente, são produtos recém-lançados, ainda em fase de apresentação ao consumidor, que, a depender do seu desempenho, se tornarão estrelas ou abacaxis — que vamos ver a seguir.

Abacaxis

São produtos e serviços que já não oferecem a rentabilidade desejada e, ainda por cima, demandam um alto nível de investimento da empresa. Nesse estágio, é recomendada uma análise mais profunda para reverter esse quadro, cortar custos ou optar pela descontinuidade desse produto, caso não haja solução.

O que faço após classificar meus produtos na Matriz BCG?

É importante observar que a Matriz BCG deve acompanhar a evolução do seu mercado. Não basta posicionar seus produtos e deixá-los inalterados no quadro. Defina um intervalo de tempo para analisar o desempenho de cada um e movê-los entre os quadrantes adequados ao momento.

Geralmente, um produto no início de sua vida útil fica como um ponto de interrogação, partindo para dois possíveis caminhos. Caso as vendas sejam positivas, o produto será deslocado para o quadrante das estrelas, podendo se tornar uma vaca leiteira quando consolidar-se no mercado e garantir a aprovação do público consumidor.

Em caso de atuação negativa no mercado, o produto vai para o quadrante dos abacaxis, entrando em estado de alerta para que a empresa defina uma estratégia de reação para alavancar as vendas e começar a adquirir algum retorno.

É possível que um produto pule do ponto de interrogação no seu estágio inicial direto para uma vaca leiteira, mas esse é um caso muito raro de acontecer. Vale ressaltar que você não deve relaxar e tirar os olhos dos seus produtos no estágio mais positivo da Matriz BCG. Os quadrantes retratam o mercado e funcionam como um ciclo indefinido, ou seja, um mesmo produto pode caminhar por diversas vezes em todos os quadrantes.

Manter um mix de produtos 100% rentável é o objetivo de qualquer empresário. Não ignore o uso de ferramentas como a Matriz BCG na sua empresa. Parecem exercícios muito simples, mas, na prática, eles apresentam um cenário mais organizado e favorável à tomada de decisões do seu negócio.

 

 

Deixe uma resposta