Muitas pessoas possuem o desejo de começar uma empresa, mas, infelizmente, a maioria se depara com dificuldades na hora de levantar recursos para o fazê-lo. De fato, começar uma empresa com pouco dinheiro é uma tarefa difícil e não há atalhos que mudem esse cenário.

Porém, com um pouco de criatividade, dedicação e muita força de vontade, é possível contrariar os prognósticos e se tornar um empresário bem-sucedido dentro do seu ramo de atuação. Talvez leve mais tempo do que o normal ou lhe consuma algumas horas a mais de trabalho, mas se o seu trabalho for consistente e se você seguir à risca alguns conselhos, as chances de sucesso aumentam.


1. Faça um plano de negócios

Validar a sua ideia de empreendimento através de um plano de negócios é fundamental para o sucesso de uma empresa.

Por meio dele é possível visualizar o cenário no qual a empresa será inserida, levantar quais serão os seus concorrentes, elaborar uma cultura organizacional sólida (missão, visão e valores), garantir a aplicação dos 4Ps do marketing (preço, praça, produto e promoção), definir a cesta de produtos ou serviços oferecidos, entre outros pontos fundamentais.

Muitos futuros empreendedores se perguntam se é realmente necessário fazer tudo isso para começar uma empresa e a resposta é clara e uma só: sim, é necessário, para qualquer tipo de empreendimento. O melhor de tudo: não é preciso investir um centavo sequer, além do seu tempo, para colocar no papel a idealização do que você espera que a sua empresa consiga proporcionar para os consumidores.

2. Avalie seu conhecimento técnico

Além das habilidades básicas para ser um empreendedor, como gestão de tempo, gestão financeira e disposição para enfrentar desafios, o futuro empreendedor deve avaliar se possui o conhecimento técnico para a realização das atividades que a sua empresa oferecerá. Não será muito produtivo abrir uma loja de assistência técnica de celulares, por exemplo, se você não entende de eletrônica.

Caso seja necessária a contratação de uma pessoa especializada para a execução das tarefas dentro da empresa, deve-se avaliar se este custo irá realmente compensar. É muito comum vermos empresas nas quais o proprietário é tecnicamente impecável no que diz respeito ao trabalho, mas sofre com dificuldades de administração, gerenciamento de equipe e organização de finanças. Busque auxílio nas tarefas que não souber executar de maneira satisfatória.

3. Busque outras fontes

Se você já validou sua ideia através do plano de negócios e avaliou que possui o conhecimento técnico necessário para começar uma empresa, mas descobriu que irá custar mais do que você possui, está na hora de buscar recursos externos. Estes recursos podem ser conseguidos através de empréstimos bancários, que possuem taxas diferenciadas para novos empreendedores, investidores-anjo, crowdfunding(investimento coletivo) ou, até mesmo, empréstimos com amigos ou familiares.


Não se esqueça de acrescentar à previsão de gastos o pagamento desta dívida. Uma boa solução para cenários como este é a busca por um sócio que também seja apaixonado pelo segmento de atuação da empresa e possua verba disponível para investir. Independentemente da opção escolhida, tenha em mente que haverá um prazo para que você devolva o valor obtido – e juros incidirão sobre o valor emprestado. Faça as contas e calcule se o seu negócio é viável ou se há perspectiva de que tudo se pague em um período razoável.

4. Reinvista o máximo possível

Reinvestir o dinheiro recebido é uma das melhores formas de expandir seu empreendimento e, deste modo, aumentar a lucratividade. Empresários que focam diretamente nos lucros e retiram dinheiro da empresa não conseguirão investir em novas oportunidades que aparecerem, tendo que buscar investimentos externos, aumentando o nível de endividamento da empresa.

Por essa razão, tenha em mente que nos primeiros meses as coisas podem ser um pouco mais difíceis, com uma renda menor e muitos investimentos a serem quitados. Todavia, trace metas indicando percentuais que possam ser reinvestidos para ajudar a fomentar o negócio. Ações de marketing ou a contratação de pessoas para determinadas funções pode dar um fôlego para o seu empreendimento se tudo for feito de maneira planejada.

5. Comece a investir em marketing desde cedo

Existem diversos casos em que os empreendedores começam a divulgar seu produto ou serviço antes mesmo de iniciarem suas atividades. Mas como começar uma empresa investindo em marketing se possuo poucos recursos? Através da internet é possível realizar este tipo de ação de forma até gratuita, utilizando uma página no Facebook, por exemplo, ou postando fotos no Instagram.

Se bem planejada, este tipo de ação de marketing trará muito mais resultados do que anúncios em rádios ou televisão, que são relativamente mais caros. Procure meios de publicidade mais assertivos e segmentados. Sair atirando para todos os lados, além de ser mais caro, certamente vai resultar em menos clientes em um primeiro momento. Conheça o seu público-alvo e foque em ações diretamente para ele.

6. Utilize seus contatos

Através de sua rede de contatos ou networking, você conseguirá divulgar a sua empresa ou até mesmo encontrar possíveis clientes para seus produtos ou serviços. O “boca a boca” ainda é o meio mais eficiente de divulgação e o melhor de tudo é que é grátis. Em sua rede de contatos, busque por pessoas que estejam relacionadas ao setor em que você pretende atuar e peça conselhos e opiniões verdadeiras.

Evite pedir conselhos para familiares e amigos muito próximos, pois, quase sempre, sua opinião não será real, tentando mantê-lo motivado. Por mais que seja importante que eles também acreditem no seu projeto, não é possível viver de ilusão. Pessoas mais distantes do seu convívio tendem a ser mais neutras e realistas com relação às dificuldades que você terá pela frente.

7. Não dê um passo maior do que a perna

Ter sonhos de grandeza não é algo que faz mal para nenhum empreendedor. Porém, estamos falando de abrir uma empresa com pouco dinheiro. Por essa razão, começar “grande” é algo que provavelmente não irá acontecer. Assim, será preciso que você adapte o seu negócio à realidade financeira que você possui. No caso daqueles que precisam de mais do que um escritório, isso significa pensar no essencial primeiro.

Tente ser realista e começar pequeno. Você ainda não tem estrutura suficiente para competir com as grandes empresas. Comece com um maquinário mais simples, com uma produção mais limitada e faça investimentos moderados. Conforme as coisas forem evoluindo, aí sim você pode contratar mais pessoas, comprar mais máquinas e ampliar sua fábrica. Caso contrário, há grandes chances de você perder quantias altas.

8. Use a internet a seu favor

Já mencionamos anteriormente, mas muitos empreendedores ainda colocam o ego em primeiro lugar na hora de tomar decisões. É muito legal ver o nome da sua empresa em uma revista de grande circulação, em um jornal ou mesmo em um outdoor na cidade. Porém, essas ações custam mais caro e, provavelmente, não darão um retorno imediato na mesma proporção do seu investimento.

Para quem está começando, o trabalho de “formiguinha” é muito mais indicado. Use a abuse das redes sociais para entrar em contato com potenciais clientes. Crie grupos, participe de fóruns e aposte em ações que não tenham custo, antes de direcionar seus esforços para o marketing e para a publicidade paga. Use as ferramentas gratuitas para sentir a reação do público antes de fazer apostas mais altas.

9. Tenha ousadia, arrisque!

Pode parecer um contrassenso uma dica como essa depois de termos dito anteriormente que é importante não dar um passo maior do que a perna. Porém, é possível ser ousado de outras formas, sem comprometer os investimentos da sua empresa.

Por exemplo, inscrever sua ideia em uma competição de startups; apresentar seu protótipo de produto a um empresário do ramo; procurar um ou dois possíveis sócios, que tenham interesse na proposta e estejam dispostos a dividir os custos; ou até mesmo buscar formas de financiamento tradicionais através de bancos ou programas do governo. Todas essas são formas válidas de ir em frente, buscando caminhos menos convencionais, sem gastar muito.

10. Não descuide da gestão financeira

Por último, mas não menos importante, dê atenção à gestão financeira da sua empresa. É extremamente recomendado que você conte com os serviços de um profissional de contabilidade. Principalmente no início, é fácil acabar se confundindo em meio a tantos impostos e tributos a pagar – e o não pagamento nas datas corretas implica em multas.

Além disso, controle as suas receitas e despesas por meio de um software de gestão financeira. Por meio dele, é possível automatizar muitas funções, o que economiza o seu tempo precioso para que você possa se dedicar ao que realmente importa: a sua empresa. Os valores de mensalidade são acessíveis e se comparamos o custo com os benefícios proporcionados, então ficará ainda mais fácil perceber que se trata de um ótimo negócio.