Ativo Imobilizado – O que é e como fazer essa contabilização?

0

Você sabe o que significa o Ativo Imobilizado? Nessa postagem, vamos explicar o conceito e mostrar como aplicá-lo na contabilidade de sua empresa.

O que é Ativo Imobilizado?

Ativo Imobilizado é o conjunto de bens necessários à manutenção das atividades da empresa, seja as atividades de produção ou as administrativas. Esses bens precisam ser apresentados em forma tangível, ou seja, ser bens que tenham um corpo físico, como edifícios, máquinas, ferramentas, automóveis, equipamentos etc. Para ser considerado um ativo imobilizado, o bem deve ainda apresentar vida útil maior ou igual a um ano, e seu custo deve ser passível de mensuração.

Esse conceito também engloba recursos aplicados na aquisição de bens tangíveis, mesmo que estes não se encontrem em operação, como construções, obras, consórcios ou importações ainda em andamento, máquinas em construção, entre outros exemplos. Além disso tudo, o Ativo Imobilizado pode abranger custos de benfeitorias feitas em bens alugados.

Para que um bem corpóreo possa ser considerado um ativo imobilizado, a empresa deve ter o controle desse bem, assumir os seus riscos , bem como ter direito aos seus benefícios. Em geral, o registro de um bem imobilizado é via operação de aquisição. Vale lembrar que os ativos imobilizados abrangem somente os bens adquiridos para uso nas próprias atividades de empresa: bens adquiridos para serem revendidos não entram nessa classificação.

Qual é o valor mínimo de um Ativo Imobilizado?

Segundo a lei, imobilizar bens que custem menos de R$1200 por unidade é facultativo, ou seja, fica a cargo da empresa. Acima desse valor, no entanto, a imobilização é obrigatória.

Custo contábil de um Ativo Imobilizado

O custo de um Ativo Imobilizado corresponde ao seu valor de aquisição ou de construção. No caso de ser fruto de doação, o valor considerado pode ser o de mercado.

Esse custo compreende o preço da compra (incluindo impostos, descontos e abatimentos); custos diretamente atribuíveis de instalação e operação, como remuneração de empregados e encargos, custo de entrega e manuseio, custo de montagem ou instalação, honorários de profissionais, custo de preparação do local e custo de testes para o bom funcionamento do bem; e, finalmente, o custo estimado de desmontagem e remoção do bem quando houver tal obrigação.

Os encargos provenientes de empréstimos e financiamentos para a construção/montagem do Ativo Imobilizado precisam ser capitalizados até o momento em que o bem estiver apto a operar plenamente.

Via Nexaas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.