Auxílio Emergencial: Brasileiros devem ser impedidos de receber a 3ª parcela

0

O Auxílio Emergencial foi criado para ajudar as pessoas que foram atingidas pela pandemia do novo coronavírus, que causou um caos na economia.

Com o intuito de ajudar os brasileiros atingidos pela pandemia do novo coronavírus, o Auxílio Emergencial foi desenvolvido parar amparar essas pessoas que foram diretamente afetadas pela crise. Destinado aos microempreendedores, autônomos, desempregados e beneficiários do bolsa família, até o momento grande parte dos beneficiários já recebem a 1ª e 2ª parcela de R$ 600.

Entretanto, no momento atual diversos brasileiros estão ansiosos para o recebimento da terceira parcela, mas o que muitos não sabem é que alguns brasileiros podem acabar perdendo o direito de receber o benefício, quer saber mais? Então acompanhe!

coronavoucher

Brasileiros podem perder direito a 3ª parcela

Sim, mesmo que você tenha recebido a primeira e segunda parcela do Auxílio Emergencial, você pode sim ser cortado da terceira parcela, mas não se desespere, vamos explicar em quais casos o auxílio pode ser cortado.

Quais casos podem impedir o recebimento?

Antes de mais nada, esteja ciente que receber a primeira e segunda parcela não é garantia de recebimento da terceira parcela. Isso se dá porque em cada pagamento uma reanálise dos beneficiários aprovados é feita.

Onyx Lorenzoni, Ministro da Cidadania, informou que existe um grande receio no pagamento do auxílio para beneficiários indevidos, em outras palavras, para quem se cadastrou sem se encaixar nas regras do Auxílio ou para o brasileiro que estava desempregado porém durante o pagamento das parcelas conseguiu um trabalho com carteira assinada. Se você se encaixa em algum destes casos, você deve ficar de fora do pagamento da terceira parcela.

O governo estará fazendo uma reanálise de todos os beneficiários aprovados para que possa fazer o pagamento da terceira parcela. Se você está recebendo o Auxílio de R$ 600, mas, neste meio tempo conseguiu um trabalho formal, você deverá ter o benefício cancelado, pois a informação irá constar na Carteira de Trabalho e o sistema irá cruzar as informações.

Essa regra também vai valer para quem começar a receber outro benefício entre o recebimento da primeira e segunda parcela do Auxílio Emergencial, como, por exemplo, uma aposentadoria, nesse caso também o auxílio de R$ 600 será cortado.

A regra de cancelamento também vale não só para os brasileiros que conquistaram um novo emprego, como também para quem começou a receber um novo benefício, como por exemplo, a aposentadoria. Se você estava recebendo o Auxílio e conseguiu a concessão da aposentadoria, seu benefício também será cortado.

Outros motivos que podem impedir o recebimento

Existem ainda outros motivos que podem fazer com que você não receba a terceira parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600, entre elas estão:

  • Ser empregado com carteira assinada;
  • Estar recebendo seguro-desemprego;
  • Aposentado ou pensionista do INSS;
  • Receber demais benefícios, com exceção do Bolsa Família: Benefício de Prestação Continuada (BPC); Auxílio Doença; Garantia Safra; Seguro Defeso;
  • Ser de família com renda mensal por pessoa superior a meio salário mínimo (R$ 522,50);
  • Renda familiar mensal total maior que três salários mínimos (R$ 3.135);
  • Limite maior que duas pessoas que recebem Bolsa Família na mesma família;
  • CPF irregular.

11 milhões ainda não receberam a primeira parcela

O número de pessoas com o pedido do Auxílio Emergencial em análise subiu de 10,9 milhões ontem para 11 milhões, informou o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Desse total, 5,7 milhões de cadastros estão em primeira análise e outros 5,3 milhões em segunda ou terceira análise, quando o cadastro foi considerado inconsistente e a Caixa permitiu a contestação da resposta ou a correção de informações.