A prorrogação do Auxílio Emergencial vai se estender até o fim do ano. Entretanto haverá uma redução no valor para os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro.

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) já apontou aos integrantes da equipe econômica um valor de R$ 250. Entretanto parte da bancada política do governo tenta convencer o presidente em pagar um valor um pouco mais alto, de R$ 300.

Entretanto, lideres de partidos pedem mais uma parcela de R$ 600 e as complementares até o fim do ano de R$ 300.

Bolsonaro informou ontem (19) enquanto sancionava duas medidas provisórias, de que a intenção é a prorrogação até dezembro, mas com valor menor que R$ 600.

auxilio emergencial

O presidente ainda enfatizou que “Os 600 pesam muito para a União. Isso não é dinheiro do povo, porque não tá guardado, isso é endividamento. É isso mesmo? Tô falando certo? Acho que tô, né? [olhando para Paulo Guedes] Pra não me criticarem depois. E se o país se endivida demais, você acaba perdendo sua credibilidade para o futuro. Então R$ 600 é muito. O Paulo Guedes… Alguém falou da Economia em R$ 200. Eu acho que é pouco. Mas dá para chegar num meio-termo e nós buscarmos que ele venha a ser prorrogado por mais alguns meses, talvez até o final do ano”.

De acordo com Bolsonaro, houve uma discussão ontem pela manhã com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia sobre a prorrogação do auxílio emergencial.

Decisão deve ocorrer até amanhã

Ao que tudo indica a decisão deve ser anunciada até amanhã. O valor de R$ 250 é similar ao que o Renda Brasil irá pagar. O Renda Brasil será um programa social do governo que pretende substituir o Bolsa Família e deve começar a valer a partir de janeiro de 2021.

Caso o governo opte por fazer uma prorrogação com valor menor, o governo vai precisar encaminhar a alteração ao Congresso por meio de Medida Provisória e passará por nova votação.

Opositores do governo entretanto insistem em manter o valor atual até o final do ano.