Imagine ter que fechar as portas de sua empresa porque não tem capital de giro para pagar as contas de água e luz, comprar materiais ou pagar funcionários.

Para evitar o pesadelo de qualquer empresário, saber o que é capital de giro, para que ele serve e como calculá-lo é essencial para qualquer negócio.

O que é capital de giro?

Capital de giro é uma reserva de recursos que será utilizada para suprir as necessidades financeiras de uma empresa ao longo do tempo.

De forma mais simples, é o dinheiro necessário para manter seu negócio funcionando ou, em outras palavras, girando.

O capital de giro é tudo aquilo que pode ser facilmente convertido em recursos financeiros (alta liquidez) para manutenção do bom funcionamento da empresa. Portanto, diferencia-se do investimento fixo, que é de menor liquidez.

[elementor-template id=”121709″]

Por que é tão importante?

O capital de giro garante a saúde financeira de sua empresa ao manter os estoques, financiar clientes nas vendas a prazo e, por fim, assegurar o pagamento a fornecedores, de impostos, salários e demais despesas e custos operacionais.

A negligência de gestores e administradores ao capital de giro pode gerar problemas com pagamentos, quitação de obrigações ou pendências, ausência de recursos financeiros em momentos críticos e outras questões que levam a empresa à necessidade de contrair empréstimos ou até mesmo a falência.

Com isso, o capital de giro é outro termo de contabilidade fundamental em sua rotina.

Como fazer?

A determinação do capital de giro necessário para seu negócio começa com um bom planejamento, detalhando os custos e despesas a curto e médio prazos e as possíveis entradas de dinheiro para fazer frente a esses dispêndios.

Para calcular o capital de giro, deve-se subtrair o passivo circulante (PC) do ativo circulante (AC).

CGL = AC – PC

Com base no valor do capital de giro, pode-se traçar a melhor estratégia para o seu negócio. Para maximizar o capital disponível, seguem algumas dicas:

  1. Identifique e corte gastos

Faça um levantamento de custos e despesas que podem ser reduzidos ou cortados, sem afetar a capacidade produtiva do negócio.

2.Fluxo de caixa

Fique sempre atento ao fluxo de caixa do negócio para manter suas finanças em dia.

3. Negociação com fornecedores e clientes

Com relação aos fornecedores, procure a melhor forma de pagamento, seja com aumento de prazo sem encargos ou à vista, se o desconto for interessante.

Tente casar o recebimento das vendas de clientes com o pagamento a fornecedores.

4. Antecipe as contas a receber de clientes

Para ter mais recursos em caixa, você pode procurar instituições financeiras e antecipar o recebimento, mediante um desconto, de valores futuros de clientes. Fique atento às taxas cobradas. 

O ideal mesmo seria casar o recebimento de clientes com as obrigações a pagar e evitar esse tipo de operação.

5. Faça um empréstimo

Se sua empresa precisa recorrer ao crédito de terceiros, estude as várias linhas de empréstimo disponíveis no mercado, buscando as menores taxas de juros e não faça dessa alternativa um hábito.

Agora que você já sabe o que é capital de giro, qual é a sua relevância para a saúde financeira de seu negócio e como calculá-lo, fica mais fácil agir com planejamento e ter uma gestão mais eficiente.

Fonte: TEC Contabilidade

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.