Capital Empreendedor termina o ciclo com investimentos em 27 startups

O programa, realizado pelo Sebrae, tem como objetivo capacitar e aproximar empresas e investidores de todo país. Ao longo de quatro anos, os negócios participantes receberam R$ 76,7 milhões em investimentos

Qual investimento seria ideal para fazer minha startup crescer? Em qual fase de investimento minha empresa está? Como me aproximar de investidores? Qual a melhor proposta de investimento? Essas e outras questões são solucionadas pelo Capital Empreendedor, iniciativa do Sebrae, com objetivo de preparar empreendedores para se relacionarem com investidores de risco. O ciclo 2021 do programa encerrou, nesta quinta-feira (25), com resultados animadores: foram 50 startups selecionadas, 100 investidores participantes e R$ 13,5 milhões em investimentos movimentados.

Ao longo das quatro edições do Capital Empreendedor, entre 2018 e 2021, 114 empresas de todo país receberam investimentos que somam um total de R$ 76,7 milhões. No ciclo de 2021, foram recebidas 756 inscrições, realizados 54 encontros em workshops com 270 startups participantes. Além disso, as startups participaram de 45 encontros com oficinas de pitch e receberam 4,9 mil horas de mentorias em temas como negócios, comportamento, governança, máquina de vendas, dentre outros.

A analista de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae Maria Auxiliadora revela que os resultados de 2021 foram surpreendentes, com startups e investidoras fechando negócios antes mesmo do encerramento do ciclo. “O objetivo principal do programa é aproximar esses dois atores do ecossistema, mas em 2021 tivemos 27 startups investidas, antes do programa acabar. Isso mostra o tamanho da nossa efetividade”, comemora.

Esse relacionamento, que é iniciado no Capital Empreendedor, perdura por muito tempo e abre novas oportunidades de negócios ao longo dos anos. “O network estabelecido entre startups e investidores de todo país é um dos maiores benefícios da participação, assim como o acesso aos investidores, advogados e parceiros que participam do programa”, destaca Maria Auxiliadora. “Já tivemos casos de startups que depois de um ano de participação no programa fecharam investimentos milionários. Então, realmente, passar pelo Capital Empreendedor, transformou a trajetória desses negócios”, completa.

Para o próximo ciclo, em 2022, o Capital Empreendedor pretende alcançar ainda mais capilaridade, chegando em todos os estados do país. A expectativa é que as 749 startups participantes dos 4 ciclos sejam mapeadas, para entender em qual grau de maturidade estão e como elas vem evoluindo nesse período. “O ambiente de negócios no Brasil vem amadurecendo e o volume de investimentos vem crescendo significativamente. Precisamos preparar e aproximar as empresas dos investidores”, observa Maria Auxiliadora. Para saber mais do programa acesse aqui.

Original de Agencia Sebrae

Comentários estão fechados.