Como as empresas devem lidar com relação a sustentabilidade?

0

A sustentabilidade e a conscientização sobre as mudanças climáticas têm liderado as notícias e a agenda corporativa nos últimos anos, estimuladas por protestos (em muitos casos, das gerações mais jovens), crises climáticas locais e uma crescente consciência do impacto humano no mundo.

Vimos um período semelhante de aumento da consciência no documentário Uma Verdade Incoveniente, de 2006, de Al Gore, quando o urso polar em uma calota de gelo derretendo emergiu como o ícone das mudanças climáticas.

No entanto, a crise financeira e a recessão global que se seguiram em 2008 impediram qualquer progresso futuro.

Vimos esse declínio no interesse, à medida que as pesquisas de clientes em torno da sustentabilidade no gettyimages.com diminuíram nos 10 anos seguintes e a imagem do urso polar não voltou a crescer até 2019, quando seu uso dobrou de tamanho

Portanto, é com interesse que temos monitorado a preocupação do consumidor com o meio ambiente e mensagens em torno da sustentabilidade durante a crise do COVID-19, para analisar se o mesmo padrão seria recriado desta vez. Por meio de nossa pesquisa do Visual GPS, entrevistamos consumidores globais antes e durante a pandemia da COVID-19 para investigar se as atitudes mudaram.

E adivinha? A sustentabilidade e o clima são tão importantes para as pessoas agora como eram antes da crise da COVID-19.

No final de 2019 / início de 2020, a forma como tratamos o planeta e uns aos outros eram as principais forças que impulsionavam o comportamento do consumidor, com quase todos (92%) os consumidores entrevistados em todo o mundo dizendo que estavam profundamente preocupados com pelo menos uma questão ambiental.

Uma segunda rodada de pesquisas que acabamos de concluir nos diz que, apesar da COVID-19 e do impacto dos bloqueios nas economias em todo o mundo, as visões das pessoas sobre sustentabilidade e questões climáticas mudaram muito pouco.

Na verdade, 8 em cada 10 consumidores (81%) esperam que as empresas sejam ambientalmente conscientes em todas as suas propagandas e modos de comunicação.

Curiosamente, essa expectativa é maior entre os consumidores mais velhos (84%), com idosos mais propensos do que qualquer outra faixa etária a comprar apenas de marcas que se esforçam para ser ecologicamente corretas e como essa faixa etária também representando quase metade do mercado de bens de consumo (49% de acordo com a Nielsen), sua expectativa se traduzirá visualmente no desejo aspiracional de um futuro melhor por meio do envelhecimento e de um estilo de vida sustentável.

As narrativas visuais dominantes na mídia sobre as mudanças climáticas nos últimos anos têm sido de incêndios florestais, poluição e lixo plástico.

Os consumidores estão, portanto, predominantemente preocupados com os mesmos problemas e têm duas vezes mais probabilidade de serem atraídos por imagens que mostram como suas próprias ações impactam o meio ambiente.

Portanto, parece que a sustentabilidade veio para ficar.

A boa notícia é que nossos clientes – marcas e empresas em quase todos os países do mundo – parecem concordar.

As pesquisas dos clientes por imagens que ilustram ‘Sustentabilidade’ aumentaram em +142% desde o ano passado e as pesquisas por ‘vida sustentável’, em +201%, são tendências em relação ao comportamento de pesquisa atual.

Em campanhas publicitárias convencionais, as marcas mudaram para ideais de vida e trabalho em casa, transporte ecologicamente correto (por exemplo, carros elétricos e bicicletas) e pessoas aproveitando o ambiente ao ar livre (que assumiu um novo significado durante o distanciamento social com um aumento de 766% nas pesquisas relacionadas).

O desafio que eu lanço para a indústria da publicidade é como mover a narrativa visual em torno da sustentabilidade.

Ícones visuais de sustentabilidade têm desempenhado um papel importante, dando às pessoas um atalho para compreender uma questão sobre o meio ambiente quando a vêem, mas agora precisamos ir além deles.

Na Getty Images, temos orgulho de fazer parte da solução. Fizemos parceria com o Climate Visuals, o único programa do mundo com base em evidências para fotografia de mudanças climáticas, para apresentar as Diretrizes de Visualização da Sustentabilidade.

As diretrizes fornecem recomendações práticas às marcas e empresas sobre como encontrar e usar conteúdo visual novo e relevante para comunicar seu compromisso com a sustentabilidade e inspirar seu público a agir. As Diretrizes de Visualização da Sustentabilidade são:

1. A sustentabilidade deve ser um objetivo intersetorial

As empresas têm especialistas em sustentabilidade e/ou especialistas em Diversidade e Inclusão, mas o conteúdo visual relacionado ao ambientalismo e à sustentabilidade não deve ser separado do conteúdo visual que é inclusivo e diverso. As estratégias representacionais devem se estender à sustentabilidade.

O clima afeta a todos em todo o mundo, portanto, inclua intencionalmente a representação de etnia, classe, idade, orientação sexual, identificação de gênero, religião e cultura. Capacite e dê destaque a todas as vozes sub-representadas. Quebre estereótipos de todo tipo.

2.  Visualize novos conceitos sustentáveis

Imagens usuais de icebergs e chaminés industriais podem ser símbolos populares para significar mudanças climáticas, mas perdem impacto com sua exposição repetida.

Além do simbolismo clássico, tente expandir seu escopo com visuais que ilustrem novos conceitos sustentáveis como “economia circular”, “reutilizável” ou “eficiência energética”. 

3. Conecte-se às aspirações sobre o futuro

As marcas, ansiosas por suprir a sensação de impotência que muitos consumidores vêm sentindo, devem focar no conteúdo visual que ajuda a visualizar as ações concretas, passos positivos, resultados e soluções reais que abrirão o caminho para um futuro melhor e mais sustentável.

O conteúdo deve refletir histórias autênticas, incluindo os aspectos positivos e negativos dos resultados e atividades de indivíduos, comunidades e empresas que estão inovando e colaborando para alcançar a sustentabilidade.

Desde aqueles que estão fazendo pequenas mudanças no estilo de vida, até as indústrias que estão conduzindo iniciativas sustentáveis inovadoras e novas tecnologias. 

4. Traga de volta ao indivíduo

O conteúdo criativo deve mostrar indivíduos autênticos com impacto real em nível local. Os visuais destacando o melhor de indivíduos e grupos em relação a questões de sustentabilidade personalizam as histórias para o seu público-alvo.

Pense em cada aspecto do visual – seja uma imagem, vídeo ou ilustração – canudos de plástico, xícaras de café descartáveis e sacolas plásticas são elementares, mas enfraquecem a mensagem que deseja passar.

Nestes tempos estranhos em que nos encontramos, uma coisa que podemos ter certeza é que a sustentabilidade veio para ficar. Os consumidores se preocupam com isso, então vamos mostrar a eles como eles podem ser parte da solução.

Por Dra. Rebecca Swift, diretora global de idéias criativas da Getty Images