A crise econômica que o país vem enfrentando por conta do coronavírus tem afetado bastante as rotinas das empresas. Um dos piores impactos é a queda no volume de vendas, que compromete o faturamento e a margem de lucro esperada.

Para driblar os efeitos da crise é preciso mudar hábitos, adotar novas ideias e, principalmente buscar soluções criativas. Saiba mais sobre o assunto no artigo de hoje!

Estudando o comportamento do mercado

O mercado é o primeiro a apresentar os efeitos da crise. Enquanto os clientes mudam seus hábitos de consumo, os concorrentes também estão buscando meios de contornar a queda nas vendas. Portanto, além de estar atento ao que os consumidores estão buscando, é importante monitorar o que as outras empresas estão fazendo e tentar aplicar as melhores práticas aos seus processos de negócio.

Outra opção é avaliar, também, quais são as principais reclamações dos clientes da concorrência a respeito dos seus produtos e serviços e pensar em meios de conseguir cobrir essa deficiência, atraindo um público maior.

Alcançando eficiência em custos

Um assunto muito falado — mesmo quando não existe uma crise econômica — e muito cobrado dos gestores é a redução de custos. Isso acontece pois ela ajuda a manter a empresa competitiva no mercado. Porém, em épocas como essa, não basta fazer cortes nos gastos, é preciso também alcançar eficiência.

Um bom exemplo disso é conseguir manter os mesmos preços com seus fornecedores, mesmo para compras realizadas em menor escala. Dessa forma, ambas as empresas podem se beneficiar.

Buscando qualificação

Além de buscar melhorar o planejamento e a execução de aspectos inerentes ao negócio, vale lembrar que o aperfeiçoamento e a qualificação também são muito importantes. Eles ajudam a desenvolver mais conhecimento e novas habilidades, que podem ser colocados em prática, contribuindo para que os resultados se aproximem cada vez mais do objetivo.

Aprimorando o relacionamento com os clientes

Os clientes são o ponto mais importante de uma empresa. Sem eles, o negócio é incapaz de sobreviver. Portanto, outra forma de driblar os efeitos da crise é buscando estreitar esse relacionamento e, na medida do possível, criar uma conexão emocional com eles.

Isso pode ser feito por meio das análises do seu perfil, compreensão das suas necessidades e da criação de meio para satisfazê-las, melhorando sua experiência com o negócio. Também vale a pena investir em novos canais de atendimento e relacionamento — as redes sociais são uma opção viável e barata para fazer isso.

Fazendo um planejamento realista

No momento de traçar os objetivos e metas, por mais que todos os gestores tenham vontade de alcançar novos patamares e ver o negócio crescer, é preciso avaliar todos os aspectos de forma realista. Isso é necessário pois todas as estratégias serão criadas a partir dessa definição e toda a operação depende delas para tomar ações mais assertivas.

O risco de criar metas otimistas é, por exemplo, estipular um valor de faturamento bem mais alto do que é possível alcançar e fazer com que os vendedores fiquem desmotivados, por não atingirem o objetivo.

Todas as oportunidades e pontos que precisam de melhoria devem ser aproveitados pelo gestor para conseguir contornar os efeitos da crise. Porém, para conseguir se destacar no mercado, é preciso encantar os clientes e, se possível, ir além de suas expectativas.

O que achou desse artigo? Algumas das dicas citadas já são colocadas em prática em sua empresa? Compartilhe suas experiências e aproveite para contribuir com mais conhecimento!

A Biz é uma empresa de empréstimo empresarial que tem como propósito facilitar o acesso ao crédito para as pequenas e médias empresas brasileiras. Dessa forma, garantir que os empreendedores prosperem e cresçam de forma rápida, segura e, é claro, 100% online. Pede Biz!

Fonte: BizCapital