Como iniciar a carreira na contabilidade assessorando MEIs?

230

Você sabia que é possível iniciar a carreira na Contabilidade assessorando MEIs? Trata-se de uma categoria cujo faturamento anual é limitado a R$ 81 mil, porém a quantidade de Microempresas Individuais ultrapassa 7,6 milhões.

Em termos de oportunidades, o contador iniciante ou estudante recém-formado em Ciências Contábeis tem muito a ganhar com os MEIs. Por quê? Simplesmente, porque as ideias e os objetivos de cada um se encontram. Ou seja, ambos necessitam um do outro!

O contador, devido à inexperiência, está em busca de oportunidades para colocar em prática o que já sabe e, assim, desenvolver-se profissionalmente. Do outro lado, o Microempreendedor Individual não dispõe de grande orçamento, mas precisa de um especialista para lidar com a burocracia e o excesso de leis que há no Brasil.

Mas como fazer para começar a trabalhar assessorando MEIs? Para ajudá-lo nessa questão, elencamos quatro dicas muito úteis para captar os primeiros clientes. Vamos a elas?

1. Invista na contabilidade online

Uma das vantagens que o contador iniciante tem hoje em dia é transformação digital. Tanto as plataformas quanto os sistemas de escrituração digital, como o Portal do Empreendedor e o SPED, permitem que os procedimentos contábeis sejam realizados online.

Portanto o investimento a se fazer, a princípio, é quase zero. O profissional apenas necessitará de um ambiente de trabalho adequado, equipado e produtivo. Em complemento a isso, o Google e as redes sociais são os espaços ideais para divulgar os seus serviços — nesse caso, procure aprender um pouco de marketing digital.

2. Conscientize o MEI da importância da contabilidade

É comum que os Microempreendedores Individuais tenham dúvidas ou, até mesmo, ideia da importância de uma assessoria contábil. Ao planejar a abertura do negócio, por exemplo, o empreendedor pode não saber a categoria na qual se enquadra.

Logo, há uma série de leis, critérios e mudanças que fazem da presença do contador uma necessidade. No que tange o MEI, embora os procedimentos sejam mais simples, eles ficam mais complexos e desgastantes quando há um funcionário contratado.

Além disso, considera-se a possibilidade de o negócio crescer a ponto de não se enquadrar mais ao MEI. O contatos, nesse caso, é a pessoa certa para acompanhar todos o processo de migração para Microempresa (ME) ou Simples Nacional.

3. Elabore uma boa oferta de serviços

Estando o cliente plenamente ciente de que a contabilidade é fundamental para a formalização, caberá a você montar um pacote de serviços atrativo e compatível com o orçamento do potencial cliente.

Vamos supor que o empreendedor ainda não tenha começado a exercer as atividades formalmente. Isso significa que ele precisa de assessoria para:

  • saber a categoria na qual se enquadra;
  • fazer um planejamento financeiro;
  • abrir a empresa;
  • emitir DAS e Nota Fiscal;
  • fazer as declarações em dia; e
  • elaborar folha de pagamento.

Percebeu que uma série de tarefas contábeis podem ser ofertadas ao cliente? Como você pode assessorá-lo em diversas situações, faça disso um meio de apresentar uma excelente oferta.

4. Aprenda os procedimentos essenciais

Antes de colocar a mão na massa, no entanto, é imprescindível que se adquira todo o conhecimento necessário para se trabalhar com MEIs. Os procedimentos são específicos devido à Lei Complementar 123/2006, a qual regula as empresas de micro e pequeno porte.

Contudo, você deve estar com a seguinte dúvida: como aprender fundamentos que não foram abordados na faculdade sem trabalhar? Na verdade, você tem de trabalhar muito, porém nos estudos!

Ao fazer o curso MEI Na Prática, você terá plenas condições de iniciar a sua carreira assessorando MEIs em sua região e fazer a sua renda sem grandes esforços.