Dentro da gestão financeira de uma , uma das etapas mais importantes é a dos índices de , que fornecem ao gestor informações que permitem acompanhar a situação econômico-financeira da em qualquer momento.

Por o destes indicadores é possível tomar as decisões gerenciais necessárias, ajustando desvios que estejam prejudicando o dos negócios, ou aproveitar as oportunidades destacadas pelos índices.

Para este artigo, utilizamos a regra de Pareto e elencamos 05 dos principais indicadores econômicos para gestão rial e que ao mesmo tempo são também 05 dos mais simples de serem implantados, pois podem ser obtidos facilmente por o da do  que, provavelmente, você já acompanha em sua .

E realizando a avaliação destes indicadores, certamente sua estará tomando decisões gerenciais de forma muito mais adequada e segura, mantendo a boa saúde econômica e financeira do seu negócio.

Veja na sequência como é fácil calculá-los e quantas informações importantes você consegue com ajuda destes 5 indicadores de fundamentais a gestão econômico-financeira de qualquer .

 

Ticket Médio

O que é: como o próprio nome induz, é o valor médio de cada venda.

Como calcular: seu calculo é muito simples. Basta pegar o volume total de faturamento e dividir pelo volume de vendas fechadas:

Ticket Médio = Faturamento / Número de Vendas

Porque é importante: o ticket médio ajuda a entender melhor seu negócio e descobrir se sua está vendendo itens de maior ou menor valor e descobrir, por exemplo, se deve focar sua estratégia mais na quantidade (caso o carro chefe seja itens de baixo valor) ou na qualidade (se os produtos que mais saem forem de preços mais altos).

Dica: faça a do ticket médio em sua também por cliente e por vendedor. Assim você vai ficar sabendo quais são os seus clientes mais (e menos) lucrativos, e quem são melhores (e piores) vendedores de sua equipe. Desta forma sua pode segmentar seus clientes e passar a oferecer um atendimento diferenciado, além de poder recompensar os vendedores com melhor .

 

Margem de Contribuição

O que é: a Margem de Contribuição representa o quanto o lucro da venda de cada produto contribuirá para a cobrir todos os seus custos e despesas fixas, chamados de custo de estrutura, e ainda gerar lucro.

Como calcular: para encontrar a Margem de Contribuição, basta fazer a seguinte conta:

Margem de Contribuição = Faturamento – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Porque é importante: conhecer a Margem de Contribuição que as vendas proporcionam é fundamental para o planejamento de qualquer e essencial para poder tomar decisões relacionadas a investimentos e expansão. Se a MC não for boa o suficiente, a pode estar vendendo bastante e mesmo assim tendo prejuízo.

Dica: alguns itens como comissões sobre vendas ou fretes podem ter grande impacto sobre a MC. Conseguir negociar melhores percentuais pode gerar grande aumento na MC de sua , mesmo que às vezes o percentual pareça pouco. Para saber mais, confira este post completo que fizemos sobre a margem de contribuição, e inclusive disponibilizamos uma planilha gratuita para seu cálculo.

 

Ponto de Equilíbrio

O que é: também chamado de Ponto Crítico de Vendas ou Break-Even-Point, o Ponto de Equilíbrio é o montante mínimo necessário de vendas ou serviços prestados para cobrir todos os custos e despesas da e não ter prejuízo. Portanto, ponto de equilíbrio é quando as vendas igualam-se aos custos e despesas totais, não gerando nem lucro e nem prejuízo.

Como calcular: para calculá-lo, basta somar as despesas fixas mais as despesas financeiras e dividir pela porcentagem da margem de contribuição.

Ponto de Equilíbrio = Custos e Despesas Fixas / Índice da Margem de Contribuição

Porque é importante: o cálculo do Ponto de Equilíbrio auxilia a a saber exatamente qual o mínimo que precisará vender para não dar prejuízo e não há como definir metas de vendas relevantes sem conhece-lo. Seu cálculo é extremamente importante antes de se iniciar uma , para saber o mínimo que a precisará faturar para ser viável. Mas também é fundamental em uma já existente, para que defina as metas mínimas de vendas para que a possa gerar lucro e crescer.

Dica: neste artigo explicamos em detalhes e passo a passo como calcular o ponto de equilíbrio para sua . Se você estiver iniciando um novo empreendimento ou mesmo planejando um novo exercício em sua atual, não deixe de conferir.

 

Lucratividade (%)

O que é: este indicador demonstra o poder de ganho da comparando o seu lucro líquido com relação ao seu faturamento total (que pode ser o total de vendas, de serviços ou ambos), ou seja, qual o ganho que a consegue gerar sobre o trabalho que ela desenvolve.

Como calcular: a forma para calcular a lucratividade é:

Lucratividade = (Lucro Líquido / Faturamento) x 100

Porque é importante: a lucratividade nos responde se o negócio está justificando ou não a operação, isto é, se as vendas são suficientes para pagar os custos e despesas e ainda gerar lucro. Além disto, como a lucratividade é dada em percentual, torna-se bastante útil para a comparação de s, mesmo de tamanhos ou setores distintos, sendo muito usado por investidores e bancos para de financiamentos.

Dica: cuidado para não confundir com rentabilidade. Confira aqui a diferença entre rentabilidade e lucratividade.

 

EBITDA

O que é: o termo EBITDA é o acrônimo em inglês para Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization, ou seja, a sigla por si só, já ajuda bastante a explicar a função do indicador. E fica ainda mais simples se traduzirmos literalmente para português, obtendo o termo LAJIDA, que significa Lucro Antes dos Juros, , Depreciação e Amortização.

Como calcular: o calculo do EBITDA já está em seu próprio nome, mas utilizando uma fórmula teríamos:

 EBITDA = Faturamento – Custos – Despesas

Porque é importante: o EBITDA é um indicador possibilita que seja analisado não apenas o resultado final da organização, e sim o processo de geração de valor com um todo. Até por isto, é um indicador bastante também utilizado no mercado de ações, pois possibilita a comparação direta de s, até mesmo de setores diferentes, já que com ele é possível avaliar o lucro referente apenas ao negócio, descontando qualquer ganho financeiro (como contratos derivativos, alugueis ou outras rendas que a possa ter gerado no período).

Dica: cada indicador possui uma função específica de , com certas “vantagens” e “desvantagens” associadas a essa especialização. E no caso do EBITDA é importante frisar que ele pode dar uma falsa perspectiva sobre a liquidez efetiva da , exatamente por não levar em consideração os possíveis empréstimos e financiamentos tomados para alavancar a operação. Para saber mais sobre o EBITDA, confira este artigo.

 

Treasy Planejamento e Controladoria

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.