DANFE: O que é e como funciona o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

Você já implantou o sistema de nota fiscal eletrônica na sua empresa? Independente se você já o fez ou se está em processo, é essencial saber como funcionam todos os procedimentos que envolvem essa nova maneira de estar em dia com o fisco.

Para ajudar a esclarecer possíveis dúvidas, portanto, continue lendo este artigo e saiba mais sobre o DANFE: entenda o que é e como funciona a partir dos seguintes tópicos:

  • O que é DANFE
  • Como funciona o DANFE
  • O que deve conter o DANFE
  • Como emitir DANFE
  • Software ERP para emissão de DANFE

O que é DANFE

DANFE é a sigla para Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica, a NF-e, um documento sem valor fiscal que contribui com a prestação de contas de empresas. O seu uso principal é durante o transporte de mercadorias, quando é imprescindível estar junto às encomendas.

Sabe-se que caminhões e outros veículos que transportam as mais variadas cargas devem ter consigo os documentos legais de cada mercadoria. E como a nota fiscal eletrônica é um documento digital, o DANFE é um tipo de versão impressa ou a sua representação gráfica.

Quando os veículos não transportam o DANFE respectivo às mercadorias que transportam estão sujeitos a multas se forem fiscalizados. Portanto, ele não substitui a NF-e, mas sim, serve para facilitar o acesso aos seus dados e comprovar a legitimidade da transação comercial.

E para confirmar a efetiva existência de uma nota fiscal eletrônica, o DANFE conta ainda com a chamada chave numérica, um código usado para acessar a NF-e a qual está atrelado. Isso pode ser feito em uma simples consulta pela internet.

O documento deve conter ainda um código de barras para que seja feita a leitura da chave.

Se ainda tem dúvidas sobre NF-e, aqui falamos tudo que você precisa saber sobre nota fiscal eletrônica!

Como funciona DANFE

Para servir como comprovante de um legítimo processo de compra e venda, o DANFE conta com 44 posições, ou seja, os principais dados do documento fiscal. Eles servem para melhorar a consulta de informações referentes a sua nota fiscal eletrônica.

Dessa forma, pode-se chamar o DANFE ainda de um comprovante da NF-e. Além disso, esse documento contribui com a escrituração contábil e pode funcionar como uma comprovação de prestação de serviços.

Então, se o destinatário do produto não for o emissor da NF-e, ele deve arquivar o DANFE pelo mesmo prazo legal exigido para as notas fiscais, isto é, cincos anos. Isso permite que ele seja apresentado quando solicitado.

O DANFE funciona ainda como comprovante da entrega do produto ou da prestação do serviço, uma vez que o destinatário deve assiná-lo no ato da entrega do mesmo ou realização do serviço.

O que deve conter o DANFE

O DANFE deve conter as seguintes informações:

  • Chave de acesso da NF-e;
  • Código de barras;
  • Data e horário de saída da mercadoria;
  • Placa do veículo;
  • Transportadora;
  • Natureza da operação;
  • Descrição das mercadorias.

Além disso, o documento possui layout padronizado, sendo que o mesmo está disponível no Manual de Integração – Contribuinte. O material encontra-se no Portal da Nota Fiscal Eletrônica do Ministério da Fazenda.

O DANFE pode conter mais de uma página, se necessário, sendo que as mesmas devem estar enumeradas. Nesse caso, cada página deve apresentar repetidas as seguintes informações:

  • Identificação com o título DANFE – Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica;
  • Razão social, CNPJ, Inscrição Estadual e Inscrição Estadual de Substituto Tributário, se for o caso, do emitente;
  • Chave de acesso e código de barras;
  • Número e série da NF-e;
  • Tipo de operação (entrada ou saída);
  • Número total de folhas do documento.

O DANFE pode apresentar demais dados, usados de acordo com a necessidade do emissor, os quais podem ser:

  • Dados do transportador e da mercadoria, desde que não ocupe mais do que metade do verso do documento;
  • Logotipo do emissor.

Essas informações adicionais de maneira alguma podem prejudicar a leitura dos dados contidos no documento.

Como emitir o DANFE

O DANFE costuma ser emitido por um sistema gerador danfe integrado a um sistema emissor de nota fiscal eletrônica a fim de evitar divergências de dados entre ambos os documentos. Para tanto, basta configurar o emissor de NF-e para imprimir o seu documento auxiliar.

Além disso, só pode ser emitido depois que a empresa receber a concessão da Autorização de Uso da respectiva NF-e, com exceção de alguns casos. Em algumas situações é preciso ainda fazer uso de vias adicionais das Notas Fiscais e, assim, imprimir mais de um DANFE.

No documento pode ser feito o deslocamento do comprovante de entrega, o que, em geral, acontece com o canhoto destacável da extremidade inferior. Possíveis carimbos que sejam feitos no documento devem ir no seu verso.

Se quem emite o DANFE deseja mudar o layout do documento para adequá-lo as suas necessidades específicas, é preciso solicitar autorização à Secretaria da Fazenda. Mesmo se a mudança for aprovada, é necessário manter as informações obrigatórias.

Por fim, o documento pode ser impresso em papel comum, em tamanho que varia entre o A4 e o ofício 2. As folhas impressas podem ser avulsas, formulário contínuo, formulário pré-impresso ou Formulário de Segurança para Impressão de Documento Auxiliar de Documento Fiscal Eletrônico.

Software para emissão de DANFE

Hoje em dia, a melhor forma de emitir nota fiscal eletrônica e imprimir o DANFE é com um emissor próprio. Isso garante mais eficiência para a rotina do dia a dia do seu escritório. Para tanto, o recomendado é usar um software ERP.

Esse sistema de gestão empresarial não só todos os documentos necessários como também contribui de outras maneiras para a administração das tarefas realizadas no seu negócio. Entre elas, emissão de boleto bancário, controle de estoque, controle financeiro e muito mais.

Tudo isso é possível por meio da informatização dos dados, conexão dos setores da sua empresa e automatização dos procedimentos. Com isso, não é preciso digitar novamente todos os dados para a nota fiscal, pois eles já estão armazenados no sistema.

Com isso, o trabalho acontece de maneira mais dinâmica e você pode contar com uma equipe mais enxuta, sem que haja perda de qualidade ou profissionais sobrecarregados. O GestãoClick é um software ERP que faz isso é possui demais funcionalidades.

Fonte: Gestão Click

imagem: gestãoclick

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.