Dia do Profissional de Administração: 54 anos de história no Brasil

0

Na próxima segunda-feira, 9, é o Dia do Profissional de Administração. A profissão completará 54 anos de regulamentação no Brasil e se consolida como uma das principais do país. De acordo com o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a Administração é uma das carreiras mais procuradas entre os jovens que ingressam no ensino superior.

Os dados do último Censo da Educação Superior, realizado em 2017 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira do Ministério da Educação (Inep/MEC) comprovam isso: o Brasil tinha 2.295 cursos de bacharel em Administração, totalizado 966.316 vagas e, por ano, 116.028 concluem o curso.

A demanda também é alta nos cursos superiores de Tecnologia em Determinada Área da Administração, os chamados cursos de curta duração. Segundo o Censo do MEC, o país tem 2.839 cursos na área e oferece mais de 1 milhão de vagas. Por ano, 106.436 estudantes concluem o curso e tornam-se tecnólogos.

Para o presidente do Conselho Federal de Administração (CFA) Mauro Kreuz, a ciência da administração tem acompanhado a evolução da sociedade. “A profissão, que nasceu na época da revolução industrial, agora se prepara para um novo contexto: o da revolução 4.0. Será que estamos preparados para tais avanços? Qual papel da academia na formação desses novos profissionais da área da administração?”, questiona o administrador.

Kreuz que essas transformações são tendências mundiais e quem não estiver pronto, será engolido pelo mercado. “Estar preparado para este novo cenário é questão de sobrevivência. A ciência da administração já prevê que o profissional se antecipe às situações, por isso, devemos divulgar amplamente esta nova realidade para que todos se readéquem o quanto antes”, diz.

Administrador X Tecnólogo

Qual a diferença entre os profissionais de administração? Os administradores são profissionais que cursaram o curso de bacharel em Administração, com duração mínima de quatro anos. A pessoa tem, portanto, uma formação plena da área da administração e está capacitada para atuar em diferentes setores de uma organização.

Já os tecnólogos estão aptos para trabalhar no segmento em que foi habilitado. Eles fizeram cursos superior de tecnologia, que dura, em média, dois anos. O MEC reconhece vários cursos de curta duração na área da administração como Gestão de Pessoas, Gestão Pública, Gestão de Cooperativas, entre outros.

Para se ter ideia do avanço, em 2000 existiam apenas 12 cursos superiores de tecnologia e em 2017 esse número chegou quase 3 mil, considerando as modalidades presenciais e a distância.

Tanto os administradores quanto os tecnólogos precisam ter o registro profissional no Conselho Regional de Administração (CRAS). Hoje, o Sistema CFA/CRAs tem quase 400 mil profissionais de administração registrados, sendo que 7,40% são oriundos dos cursos superiores de tecnologia em determinada área da administração.

Comemorações

O 9 de setembro, além de ser o dia que a Lei 4.769 de 1965 foi sancionada, regulamentando a profissão de administrador, a data marca a criação do Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs).

Em mais de meia década de história, muitos avanços foram conquistados. Para celebrar a data, a Câmara dos Deputados, em Brasília, realizará sessão solene em homenagem ao Dia do Profissional de Administração.

O evento foi proposto pelos deputados Hildo Rocha e Luis Miranda. A sessão acontecerá no dia 9 de setembro, às 9h, no Plenário Ulysses Guimarães da Câmara dos Deputados. Além dos conselheiros federais do CFA e dos presidentes dos CRAs, a homenagem contará com a presença de cerca de 200 estudantes e profissionais de administração.

As homenagens também acontecerão no Senado Federal. A sessão solene acontecerá no dia 9, às 16h, no plenário daquela casa legislativa. O evento foi proposto pelo senador Izalci Lucas.

PERFIL DO ADMINISTRADOR

A MAIORIA

  • É do sexo masculino, casado e com dependentes.
  • Tem idade entre 33 anos.
  • É egresso de universidades particulares.
  • Concluiu o curso de Administração entre 2006 e 2011.
  • Possui especialização em alguma área da Administração.
  • Trabalha em empresas de grande porte (serviços e indústria) e órgãos públicos.
  • Atua nas áreas de Administração Geral e Finanças e Recursos Humanos.
  • Possui carteira profissional assinada.
  • Ocupa cargos de gerência ou de analista.
  • É registrado em CRA.

GÊNERO

número de Administradoras vinha crescendo continuamente. Em 1994, foi de 21%; em 1998, de 25%; em 2003, de 30%; em 2006, de 33% e em 2011, de 35%. Na pesquisa atual, de 2015, o número foi de 34%, verificando-se uma estabilização.

Em 21 anos, o percentual de Administradoras teve um crescimento em termos percentuais de 62% (34%, em 2015, contra 21%, em 1994).

TEMPO DE FORMADO

Em 2011, 43,06% dos Administradores participantes do trabalho havia se formado nos cinco anos anteriores à pesquisa. Em 2015, 17,67% concluiu sua graduação entre 2012 e 2015, podendo-se perceber que a redução daquele percentual pode representar uma maior distribuição do contingente de novos Administradores.

NATUREZA DAS IES

As instituições de natureza privada prevalecem como formadoras dos Administradores (82,44%).

IDIOMAS

Embora 49,22% dos Administradores tenham informado não dominar nenhum idioma estrangeiro, 42,59% disseram dominar o inglês e 20,56% o espanhol.

EMPREGABILIDADE

O índice dos que declaram possuir carteira profissional assinada diminuiu comparativamente aos das pesquisas anteriores (78,48% em 2011 e 75,14% em 2015).

RENDA INDIVIDUAL

Seguindo a mesma tendência de 2011, a concentração de respostas quanto à renda individual mensal do Administrador (41,33%) encontra-se na faixa entre 3,1 e 10,0 salários mínimos (SM).

renda média aproximada do Administrador foi de 9,24 SM, calculado mediante os pontos médios e o número de respondentes em cada uma das faixas, equivalente, em 2015, a R$ 7.281,12 (sete mil duzentos e oitenta e um reais e doze centavos).

Considerando o aumento real do SM no período, pode-se inferir que a variação é desprezível. Com relação à faixa de mais de 30 SM, houve queda de 4,51% em 2011 para 3,35% em 2015.

ÁREA FUNCIONAL

As grandes áreas funcionais (Administração Geral, Financeira, Vendas e Recursos Humanos) atingiram 46,16% do total de respondentes em 2015, sendo possível afirmar que permanecem as áreas mais demandadas da Administração.

A Administração Geral em 2015 manteve alto o índice de alocação de Administradores, embora o seu percentual tenha sido reduzido considerando a pesquisa de 2011. Interessante verificar que a inclusão de novas opções na pesquisa de 2015 mostrou que 8,98% dos pesquisados atuam em todas as áreas da empresa/organização. Entre as novas opções destacam-se também Assessoria (4,23%) e Compras/Suprimentos (3,07%).

CARGOS OCUPADOS

Os Administradores continuam sendo bem aceitos como Gerentes. O cargo de Técnico sofreu uma pequena diminuição, passando de 7,22% para 5,92%. A ocupação do cargo de Analista por Administradores variou de 18,78%, em 2011, para 18,26%, em 2015, indicando estabilidade.

PERFIL DO TECNÓLOGO

A MAIORIA

  • É do sexo masculino, casado e com dependentes.
  • Tem idade média de 41,3 anos.
  • É egresso de universidades particulares.
  • Concluiu o curso nos últimos dez anos, na época da realização da pesquisa.
  • Possui especialização que considera importante para a carreira (Inclui MBA).
  • Trabalha no setor privado, em organizações menores.
  • Atua nas áreas de Administração Geral, Recursos Humanos, Vendas e Assessoria.
  • Possui carteira profissional assinada.
  • Ocupa cargos de gerência, de analista, de técnico, de supervisão ou coordenação.
  • É registrado no CRA.

GÊNERO

Prevalece o sexo masculino entre os Tecnólogos pesquisados, com 69,04%.

TEMPO DE FORMADO

Os pesquisados formados nos últimos dez anos constituem a maioria (82,63%), sendo que, entre estes, 45,78% concluíram o curso de 2006 a 2011.

NATUREZA DAS IES

As instituições de natureza privada prevalecem como formadoras dos Tecnólogos (90,77%).

IDIOMAS

Verifica-se que, 58,70% dos Tecnólogos não domina nenhum idioma estrangeiro, percentual bem mais elevado do que o apresentado por Administradores (49,22%). No entanto, 28,03% afirma dominar o inglês e 18,04% o espanhol.

EMPREGABILIDADE

É alto o índice dos que declaram possuir carteira profissional assinada. 76,23%.

RENDA INDIVIDUAL

Até 10 salários-mínimos mensais é a renda de 75,64%dos Tecnólogos pesquisados, sendo que 47,65% deles tem renda entre 3,1 e 10 salários-mínimos e 27,99% até 3 salários-mínimos. Somente 5,83% deles tem renda acima de 15 salários-mínimos mensais.

ÁREA FUNCIONAL

As principais áreas funcionais em que os Tecnólogos atuam são: Administração e Planejamento Estratégico (14,38%), Recursos Humanos (12,52%), todas as áreas da organização (7,74%), Vendas (7,53%) e Assessoria (7,28%). Nota-se que 9,33% não indicaram as áreas em que trabalham.

CARGOS OCUPADOS

As cinco ocupações principais exercidas pelos Tecnólogos são: Gerência, Analista, Coordenação, Técnico e Supervisão, que corresponderam, em conjunto, por 55,16% das respostas.

Fonte: Pesquisa Perfil, Formação, Atuação e Oportunidades de Trabalho do Administrador / CFA – 2015

Sobre o CFA – O Conselho Federal de Administração é um órgão normativo, consultivo, orientador e disciplinador do exercício da profissão de Administrador, sediado na capital federal, responsável por controlar e fiscalizar as atividades financeiras e administrativas do Sistema CFA/CRAs. Este tem como missão promover a Ciência da Administração valorizando as competências profissionais, a sustentabilidade das organizações e o desenvolvimento do país. Ele é integrado pelo CFA e pelos 27 Conselhos Regionais de Administração – CRAs, sediados em todos os Estados da Federação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.