Elisão fiscal: saiba como pagar menos impostos sem sair da lei

0

Quando o empreendedor começa seu negócio, uma das principais preocupações é lidar com os impostos. O que poucos sabem, no entanto, é que existe uma forma de economizar dinheiro pagando menos impostos e sem desobedecer às leis: é a elisão fiscal. E se você quer entender como ela funciona e como pode aproveitar essa vantagem, acompanhe!

O que é a elisão fiscal

Elisão fiscal é uma forma legal de pagar menos impostos. Também chamada de gestão tributária inteligente ou de planejamento tributário, a elisão acontece através de incentivos presentes na própria legislação, ou, de práticas que a lei não proíbe.

[rev_slider alias=”ads”][/rev_slider]

 

Diferenças entre elisão e evasão fiscal

Enquanto a elisão é uma forma legal e moral de pagar menos impostos, evasão é a famosa sonegação. Ou seja, evasão fiscal é uma prática ilegal que pode resultar em multa e prisão dos responsáveis.

Outra diferença é o momento em que cada uma acontece. A elisão ocorre na fase de planejamento da empresa, quando são tomadas as decisões para a abertura ou mudança de regime tributário. Já a evasão acontece depois das vendas, por meio de valores não declarados, declarações parciais e de notas fiscais não emitidas – o conhecido ato de caixa 2.

Quais empresas podem praticar a elisão fiscal?

Todas. Desde o profissional autônomo que deseja se formalizar até a micro, pequena e grande empresa. A dica é ler muito sobre os regimes e leis para entender como o seu negócio teria mais benefícios. Ou, ainda, contratar um profissional para prestar consultoria e orientá-lo nesse processo.

Quais os tipos de elisão fiscal que eu poderia escolher?

Existem várias formas de praticar a elisão fiscal para a sua empresa e, assim, pagar menos impostos estando dentro da lei. Separamos as principais:

  • Escolha do regime tributário: quando você abre a sua empresa, pode escolher o regime tributário de Simples NacionalLucro Presumido ou Lucro Real. Os impostos cobrados em cada tipo de regime variam, e entender como as contas da empresa se comportam é a chave para selecionar o que custará menos. Por exemplo: se a folha de pagamento dos funcionários é de 40% ou mais do faturamento, vale a pena optar pelo Simples.
  • Procura pelo menor ISS: o Imposto Sobre Serviços é um tributo municipal e a lei não proíbe que as empresas mudem a sede para a cidade vizinha, caso a taxa por lá seja mais em conta.
  • Optar pelo MEI: se você é um profissional autônomo que deseja regularizar a prática, ao invés de fazer o cadastro na prefeitura pode tornar-se um microempreendedor individual. O MEI tem o recolhimento dos impostos por meio de uma guia mensal com valor fixo, que muitas vezes sai bem mais em conta do que os tributos descontados de cada rendimento. Mas, vale lembrar que para ser MEI é necessário encontrar sua área de atuação ou pelo menos parte dela na lista de atividades permitidas e o faturamento máximo é de R$60 mil por ano.

Então é vantajoso contar com a elisão fiscal?

É sim! Quando você conhece as oportunidades que a lei oferece para a sua empresa pagar menos impostos, pode economizar dinheiro com tributos que não são necessários para o negócio. E como já dissemos, é bacana ler bastante sobre o assunto ou pedir ajuda a um profissional da área para selecionar a melhor alternativa de elisão fiscal.

Via QuickBooks 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.