Já não é novidade que a pandemia de Covid-19 provocou mudanças em todas as esferas da sociedade. Quando falamos em economia, então, tudo mudou. Entre os públicos que receberam maior destaque durante este período foram os aposentados e pensionistas do INSS. 

O principal motivo foram as discussões a respeito do empréstimo consignado, a modalidade de crédito destinada para esta categoria. Diferentes debates foram travados em Congresso com o objetivo de evitar que esta importante parcela da população acumulasse dívidas e, por isso, novas regras foram estabelecidas para o consignado até dezembro de 2020.

Entendendo o empréstimo consignado

A modalidade de empréstimo consignado é, especialmente, destinada para aposentados, pensionistas do INSS e servidores públicos. Por fazer o desconto das parcelas diretamente do salário ou do benefício do tomador, o consignado conta com uma das taxas de juros mais baixas do mercado financeiro. 

Não à toa, a contratação de empréstimo consignado cresceu 20% durante o primeiro trimestre deste ano, mesmo diante da pandemia de Covid-19. Com os juros menores, muitas pessoas veem no consignado a oportunidade de pagar dívidas atrasadas, colocar a vida financeira em ordem ou até mesmo tirar um plano do papel.

Além do empréstimo propriamente dito, o público elegível a esta forma de crédito, também pode solicitar um cartão de crédito consignado. Este cartão funciona exatamente com os demais, mas apresenta outros benefícios, como: anuidade gratuita, menores taxas de juros, não consulta ao SPC ou Serasa e desconto do mínimo da fatura diretamente do salário, evitando o não pagamento da fatura. 

INSS

INSS aumenta limite do cartão de crédito consignado

Como dito, a modalidade de consignado passou por diversas discussões nos últimos meses e novas regras foram estabelecidas, com destaque para o novo limite do cartão consignado estabelecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social – INSS.

O limite anterior era de 1,40 do valor da renda mensal do aposentado e do pensionista. Com a mudança, o limite agora é de 1,60. Para entender melhor a mudança é necessário  multiplicar o valor do benefício por 1,6.

Dessa forma, se o benefício recebido é o valor do salário mínimo atual, R$ 1.045,00, este beneficiário poderá  ter como limite de crédito o equivalente a R$ 1.672,00. Esse cálculo é feito para entender  o valor máximo que a pessoa poderá ter ao solicitar o cartão de crédito consignado. 

O grande objetivo dessa mudança é oferecer mais facilidades ao grupo elegível ao consignado. Vale lembrar, no entanto, que a margem consignável não pode ultrapassar 5% da renda mensal do beneficiário.

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.