FoFs: Entenda o que é e como funcionam os Fundos de Fundos

0

Também conhecidos como FoFs, os Fundos de Fundos são uma modalidade de investimento que apresenta uma estratégia de investimento baseada na união de recursos, por uma gestora, para um investimento em outros Fundos de Investimento.

As vantagens e desvantagens desse tipo de produto são fortemente discutidas no mercado financeiro em geral.

Dessa forma, destacaremos neste artigo informações importantes sobre esta opção de investimento.

Como funciona um FoF?

Um dos exemplos mais simples para o entendimento dos Fundos de Fundos é o caso nos Fundos de Investimento Imobiliários (FII).

Um FII comum utiliza o seu patrimônio líquido inicial para investir em imóveis físicos, como galpões logísticos, prédios comerciais, entre outros. Esses são os chamados Fundos Imobiliários de “tijolo”.

Ademais, ainda existem os Fundos Imobiliários de “papel”, que utilizam os recursos captados para investirem em recebíveis imobiliários.

Ou seja, investimentos de renda fixa voltados para o setor imobiliário.

A maior diferença para um Fundo de Fundos é que o capital captado nesse veículo não é utilizado para o investimento em imóveis físicos, nem em recebíveis imobiliários, mas sim em outros fundos.

Vantagens

Uma das principais vantagens do investimento em Fundo de Fundos é a diversificação.

Com apenas a aquisição de uma cota, o investidor poderá ter uma exposição a diferentes estratégias de fundos de investimento, o que acaba por diminuir o risco.

Assim, com apenas um produto, é possível obter participações em empreendimentos em diferentes setores e em diversas geografias, se expondo a diversos fatores macroeconômicos diferentes. 

Outra vantagem é que o capital investido será gerido por uma equipe profissional, com anos de experiência.

Dessa maneira, espera-se que sejam preparados para identificar boas oportunidades de investimento e escolhê-las para alocar o capital dos cotistas.

Um ponto importante é que, por meio dos Fundos de Fundos, o investidor pessoa física tem acesso a oportunidades de investimento apenas disponíveis para investidores institucionais ou aqueles com alto patrimônio.

Desvantagens

A maior desvantagem apresentada pelos FoF’s é que os investidores acabaram por pagar mais taxas em comparação ao investimento direto em um fundo de investimento.

Por exemplo, digamos que um FII cobre uma taxa de 0,5% ao ano sobre o patrimônio líquido do fundo.

Já o Fundo de Fundos, cobre uma taxa de 0,25% ao ano. Portanto, se o investidor escolhesse os fundos de investimento nos quais o FoF investe, de maneira direta, estaria economizando um percentual em taxas.

Designed by @pressfoto / freepik
Designed by @pressfoto / freepik

Entretanto, é o preço que se paga para uma alocação especializada de recursos, diversificação em apenas um produto, bem como as outras vantagens que foram citadas anteriormente.

Essa delegação dos recursos financeiros para outras pessoas é um ponto de bastante importância, pois demanda alta diligência do investidor para escolher uma equipe de gestão com positivo histórico de resultados.

Ao mesmo tempo que pode ser feita uma escolha excepcional de ativos, pode ser realizada uma não muito atrativa.

Dessa maneira, o investidor deve ter confiança em quem está gerindo seu capital.

Taxas e Imposto de Renda nos FoFs

Em primeiro lugar, a fim de entender as tributações referentes a cada tipo de FoF, deve-se entender a natureza de cada um.

Caso seja um FoF que atue no investimento em Fundos Imobiliários, os rendimentos são isentos de Imposto de Renda e o fundo deve distribuir 95% dos seus resultados.

Caso seja um Fundo de Fundos que invista em Fundos de Investimento em Ações ou em Fundos Multimercados, a tributação poderá ocorrer no momento de resgate do montante investido, ou o sistema de come-cotas poderá ser utilizado.

Desse modo, é de suma importância que o investidor leia o regulamento do fundo que possui interesse em investir.

Vale a pena investir em um FoF?

Como citado diversas vezes anteriormente, cada produto de investimento é adequado para determinados perfis de investidor.

Se o indivíduo não tem disponibilidade de tempo ou até mesmo interesse em pesquisar ativos para investir de maneira própria, os Fundos de Fundos podem ser uma escolha interessante. 

Assim, o investidor terá uma alta diversificação do seu capital em apenas um produto, além de poder ter acesso a investimentos indisponíveis para investidores pessoa física.

Dessa forma, os FoF’s não são “vilões”, nem “mocinhos”, são apenas mais uma oportunidade que o investidor pode considerar, levando em conta as vantagens e desvantagens citadas.

Antes de tudo, é sempre importante ler o regulamento do fundo e entender qual é a estratégia do gestor, taxas, tributação e demais informações essenciais para realizar investimentos saudáveis e com ótimos resultados.

Texto produzido pela Suno.