Guedes confirma Auxílio Emergencial de R$ 175 e R$ 375

0

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (8) quais serão os novos valores pagos na nova rodada de pagamentos do Auxílio Emergencial que segue em votação na Câmara dos Deputados.

Guedes afirmou que os valores pagos vão depender da composição familiar e vão girar entre R$ 175 e R$ 375, contudo o valor médio pago será de R$ 250 por família. Entenda como vai ficar:

  • Famílias com apenas um integrante vão receber R$ 175;
  • Famílias com dois ou mais integrantes vão receber R$ 250;
  • Famílias em que a mulher é chefe do lar será de R$ 375;

O ministro, Paulo Guedes declarou em entrevista no Palácio do Plano que “esse é um valor médio [R$ 250], porque, se for uma família monoparental, dirigida por uma mulher, aí já é R$ 375. Se tiver um homem sozinho, já é R$ 175. Se for o casal, os dois, ai já são R$ 250. Isso é o Ministério da Cidadania, nós só fornecemos os parâmetros básicos, mas a decisão da amplitude é com o Ministério da Cidadania”.

O ministro ainda complementou dizendo que para “reduzir a pobreza e a miséria no Brasil” se faz necessário “botar o dinheiro onde está o mais pobre e não nos intermediários”.

“Se nós quisermos reduzir a pobreza e a miséria no Brasil, você tem que dar o dinheiro direto para os mais desfavorecidos, para os mais pobres que é o que a gente fez, que é a filosofia lá atrás do bolsa escola, bolsa família. Agora, o auxílio emergencial acabou seguindo também uma linha semelhante que é botar o dinheiro onde está o mais pobre e não nos intermediários”, finalizou o ministro.

Auxílio Emergencial

Auxílio será somente para quem já recebia

A nova prorrogação do auxílio emergencial será liberada apenas para os beneficiários que já receberam as parcelas no ano passado. Não sendo necessário realizar um novo cadastro.

Os brasileiros que não receberam o auxílio emergencial em 2020 vão ficar de fora da nova rodada de pagamentos. A regra vale tanto para quem solicitou o benefício no ano passado e foi negado, bem como para as pessoas que durante o decorrer do ano passado e inicio deste ano, perderam seus trabalhos bem como suas fontes de renda.

Segundo análises realizadas pelo Governo Federal já existe um número muito grande de beneficiários do auxílio emergencial onde foi necessário redesenhar os critérios para concentrar o pagamento nos cidadãos que realmente fazem jus ao recebimento das novas parcelas do auxílio emergencial.

No mais, outro entrave para que o governo consiga liberar um novo cadastramento é que o orçamento limite para nova rodada de pagamentos é de R$ 44 bilhões, o que acaba restringindo o número de pessoas que podem receber o auxílio emergencial.